A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

600 manifestantes detidos em Moscovo

600 manifestantes detidos em Moscovo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 600 manifestantes foram detidos este sábado, em Moscovo. Participavam numa manifestação não autorizada de apoio aos candidatos impedidos de concorrer às eleições municipais de setembro.

A comissão eleitoral declarou falsas muitas das assinaturas apresentadas pelos candidatos independentes. A repórter Galina Polonskaya testemunhou a repressão policial.

Um manifestante declara: "Isto é o caos, estamos privados de escolha, por isso invadimos as ruas, porque não temos alternativa. Isto é, simplesmente, o medo das pessoas que estão no topo. Têm medo de nós, penso eu, e por isso, em vez de tomarem a decisão certa, estão a fazer isto, de uma forma estúpida. Eu acho que se houver mais gente, eles não serão capazes de nos afastar assim".

Outro reclama: "Como é que posso votar se a lista deles não foi autorizada? Eu quero votar no meu candidato".

O protesto deveria ter ocorrido em frente à Câmara Municipal da capital russa, na rua Tverskaya, mas toda a rua foi bloqueada e as primeiras detenções aconteceram mesmo horas antes do momento em que o início do protesto estava previsto.

"As pessoas cantam: 'Devolvam-nos a nossa eleição'. Todos os acesso à Tverskaya estão agora cortados, mas só aqui nesta pequena rua há mais de 500 pessoas", refere Galina Polonskaya.

Aleksey Tolenkov é adjunto na câmara de Narofominsk , uma cidade próxima de Moscovo. Veio aqui com o objetivo de verificar se os Direitos Humanos estão a ser respeitados e conta o que testemunhou, enquanto limpa a cara ensanguentada: "A polícia começou a carregar sobre nós, batendo e dando pontapés em várias pessoas. É por isso que eu estou assim".

Para muitos dos que participaram neste protesto, não é apenas a eleição na autarquia de Moscovo que está em causa, é todo o sistema político da Rússia.