EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Fim de semana sangrento nos EUA

Fim de semana sangrento nos EUA
Direitos de autor REUTERS/Carlos Sanchez
Direitos de autor REUTERS/Carlos Sanchez
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dois tiroteios fizeram 30 mortos no espaço de apenas 13 horas.

PUBLICIDADE

Em apenas 13 horas, os Estados Unidos viveram uma escalada mortífera, com dois tiroteios que fizeram um total de 30 mortos, em dois pontos distintos do país. Foi um fim de semana sangrento que faz aumentar as críticas à liberdade de porte de arma no país.

With two mass shootings in America in less than 24 hours, thoughts and prayers are not enough. We need action. The...

Publiée par Hillary Clinton sur Dimanche 4 août 2019
Hillary Clinton pede que o Senado aprove leis mais restritivas sobre as armas de fogo.

Em El Paso, no Texas, junto à fronteira mexicana, um homem abriu fogo num centro comercial e matou 20 pessoas, na maioria de origem hispânica. O atirador foi detido e identificado como Patrick Crusius, de 21 anos, que antes do crime deixou escrito um manifesto racista. O caso será tratado como terrorismo.

O governador do Texas fala também em "crime de ódio" e apelou à unidade: "Estamos unidos no apoio a esta comunidade e nos esforços para fazer tudo ao nosso alcance para ajudar as vítimas. Quero agradecer aos socorristas e à polícia pela forma como trataram o caso e como asseguraram que o atirador não iria ferir mais ninguém", disse Greg Abbott.

No Twitter, Donald Trump escreveu: "Deus abençoe os povos de El Paso, Texas e Dayton, Ohio".

Dayton, no Ohio, foi palco de outro episódio violento. Um homem com uma arma automática terá morto nove pessoas em menos de um minuto, na baixa da cidade. A intervenção rápida da polícia evitou um balanço mais grave.

"Isto mostra que a vida pode mudar num piscar de olhos. Estávamos a divertir-nos, ninguém estava à espera disto. Isto prova que as armas não devem andar assim por aí. É assustador. Tenho filhos, só queria ir para casa e podia não ter chegado a casa só porque tinha ido divertir-me", conta Anthony Reynolds, testemunha do tiroteio.

O atirador foi imediatamente morto pela polícia. A identidade não foi revelada e desconhece-se a motivação para a carnificina.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tiroteio mortal, nos EUA: Polícia local fala em motivações raciais, o atirador "odiava os negros"

Trump prepara-se para audiência no tribunal

Trump é acusado de mandar apagar imagens incriminatórias no caso dos documentos secretos