Última hora

Salvini diz que "coligação de governo não tem salvação possível"

Salvini diz que "coligação de governo não tem salvação possível"
Direitos de autor
REUTERS/ Remo Casilli
Tamanho do texto Aa Aa

Matteo Salvini quer eleições antecipadas em Itália. O vice-primeiro-ministro e titular da pasta do Interior disse ao primeiro-ministro Giuseppe Conte que não há conserto possível para a coligação de governo. Isso mesmo reafirmou depois num comunicado. O comboio de alta velocidade italiano pode bem transportar Salvini até ao Palazzo Chigi, sede da presidência do conselho de ministros em Roma.

A crise govenamental foi causada pela discussão sobre o TGV com a Liga, de Salvini, a votar contra a moção do parceiro de coligação, o Movimento Cinco Estrelas de Luigi Di Maio, que pretendia parar a construção da linha que liga Lyon a Turim. Este voto abriu aquela que é, até agora, a maior crise no seio do governo desde as eleições do ano passado.

Tendo em conta a subida da Liga nas sondagens, a eventualidade de eleições antecipadas pode concretizar o sonho de Matteo Salvini de subir um degrau e passar de ministro do Interior a chefe do Governo. A Liga tem 36% das intenções de voto, o que somado aos votos no partido Fratelli d'Italia daria uma maioria relativa de 43,5%, O Movimento Cinco Estrelas, de Luigi Di Maio, está pouco abaixo dos 18%, muito abaixo dos resultados de 2018, em que a Liga e o Cinco Estrelas tiveram resultados muito próximos que obrigaram os dois partidos a partilhar o poder e nomear um independente, Giuseppe Conte, para chefiar o governo.

Enquanto se esperam as cenas dos próximos episódios, a primeira cabeça a rolar será, provavelmente, a do Ministro das Infraestruturas e Transportes, Danilo Toninelli, membro do Movimento Cinco Estrelas que tem a tutela sobre a linha de alta velocidade.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.