Última hora
This content is not available in your region

Navios de resgate aguardam no mar por desembarque de migrantes

euronews_icons_loading
Navios de resgate aguardam no mar por desembarque de migrantes
Tamanho do texto Aa Aa

Passava já das quatro horas da manhã, quando, este sábado, o navio Open Arms terminou o resgate de 39 pessoas num pequeno barco de madeira, ao largo de Malta.

Às autoridades maltesas, O Open Arms pediu para desembarcar as 160 pessoas que levava já a bordo, mas apenas os migrantes resgatados durante a madrugada tiveram permissão para pisar terra firme.

Ainda esta semana, também Itália recebeu um apelo semelhante vindo de Richard Gere. O ator e ativista norte-americano pediu ao governo transalpino para ajudar os migrantes a bordo do navio de resgate há mais de uma semana no mar.

Momentos de espera também vividos a bordo do Viking, uma embarcação norueguesa, operada pelas organizações humanitárias SOS Mediterrâneo e Médicos Sem Fronteiras (MSF), que resgatou mais de 80 migrantes de um bote de borracha da Líbia.

No Twitter, os Médicos Sem Fronteiras alertaram para o perigo a que as pessoas resgatadas estão expostas, mas o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, permanece inabalável e pediu à embaixada da Noruega que encontrasse um porto seguro para aquela embarcação com a bandeira do país.

"A informação que temos é que eles ficaram no mar por vários dias, por isso sentem-se absolutamente exaustos. Agora as crianças estão a brincar no convés, mas consigo sentir um ambiente de grande silêncio à minha volta, o que significa que estão realmente exaustos e precisam de descansar um pouco", conta Luca Fontana, médico da MSF, a bordo da embarcação.

De acordo com um decreto recente do governo italiano, qualquer navio que entre em águas nacionais sem autorização arrisca-se a uma multa de um milhão de euros.