A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

À reconquista do povo, governo argentino anuncia medidas sociais

À reconquista do povo, governo argentino anuncia medidas sociais
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da derrota nas eleições primárias, o governo argentino apresentou um pacote de medidas económicas, após o resultado das eleições primárias do passado domingo, onde se inclui o aumento do salário mínimo, que irá beneficiar cerca de dois milhões de trabalhadores.

Para definir a percentagem deste aumento, o executivo vai convocar o Conselho Nacional de Emprego, Produtividade e Salário Mínimo, no qual vão participar o Estado, as empresas e os trabalhadores.

As medidas preveem ainda apoios para as pequenas e médias empresas.

“Queremos ajudá-las porque reconhecemos o seu valor e sabemos as dívidas que têm”, indicou o Governo, citado pela agência EFE.

Nesse sentido, será implementado um plano que vai permitir às empresas pagar em dez anos as dívidas fiscais.

Paralelamente, o executivo também anunciou o congelamento do preço dos combustíveis por 90 dias.

O Presidente da Argentina, Mauricio Macri, obteve 32% na eleição de domingo, enquanto Alberto Fernández registou 48% dos votos.

"Sobre o resultado das eleições, saibam que eu os entendi. Isto que aconteceu foi pura e exclusivamente minha responsabilidade e da minha equipa do Governo", declarou o Presidente, antes de anunciar as medidas que se destinam a "17 milhões de trabalhadores e suas famílias".

Das dez listas de candidatos à Presidência, assim como para as listas de candidatos às legislativas – em outubro será renovada metade da Câmara de Deputados e um terço do Senado –, apenas terão acesso às eleições gerais as que receberem pelo menos 1,5% dos votos nestas primárias.

De acordo com as sondagens, em outubro, a escolha dos argentinos vai ser entre a reeleição de Macri ou o regresso da ex-Presidente Cristina Kirchner, agora como vice de Fernández.

O objetivo das denominadas Primárias Abertas, Simultâneas e Obrigatórias (PASO) era que os eleitores escolhessem diretamente os candidatos presentes no escrutínio presidencial de 27 de outubro. Na prática, todos os candidatos foram escolhidos pelos partidos.

Mercados sentem

O peso argentino continua em queda face ao dólar, pela terceira sessão consecutiva, mesmo depois do governo ter apresentado o pacote de medidas.

A moeda local voltou assim a desvalorizar-se em comparação com o dólar norte-americano que, segundo o Banco da Nação da Argentina, ao início da sessão, valia 61 pesos, mais três do que o valor apurado no final da sessão anterior, noticia a agência EFE.