A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Mercados europeus estáveis apesar da ameaça de recessão

Mercados europeus estáveis apesar da ameaça de recessão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nem os receios de uma recessão global, nem a forte queda verificada em Wall Street assustaram os mercados europeus, que esta quinta-feira abriram sob o signo da estabilidade. Ainda assim não deixa de haver sinais para preocupação, sobretudo depois do Eurostat ter confirmado a desaceleração do PIB da zona euro, motivada pela contração da economia alemã, cada vez mais próxima da recessão com um crescimento de apenas 0,1% no último trimestre.

Em Wall Street, a quarta-feira foi um dia para esquecer com os índices de ações norte-americanos a fechar a sessão com perdas a rondar os 3% e o Dow Jones a registar a maior queda de 2019.

Ross Gerber, administrador da Gerber Kawasaki, não hesita em apontar o dedo ao Presidente dos EUA:

"Penso que a mensagem dos mercados é clara: as guerras comerciais são horríveis para a economia global e as políticas de Trump de colocar a América em primeiro lugar até podem ser boas de certa forma para o seu país a curto prazo, mas no longo serão más para os Estados Unidos e para a economia global. A juntar a isto temos todos os problemas em Hong Kong, o aproximar do Brexit e a desastrosa economia europeia."

O risco de uma recessão global é real e outro sinal foi dado pelos juros das obrigações dos EUA a 30 anos, que pela primeira vez foram negociados abaixo dos 2%.