Última hora
This content is not available in your region

Oposição quer derrubar Boris Johnson

Oposição quer derrubar Boris Johnson
Tamanho do texto Aa Aa

Impedir um "Brexit" sem acordo na data prevista, é esse o objetivo do líder do Partido Trabalhista. Numa carta, Jeremy Corbyn sugeriu que a oposição apresente uma moção de censura no Parlamento britânico, já em setembro, para derrubar o Executivo de Boris Johnson.

Depois disso, o líder trabalhista sugere que toda a oposição se una sob um "governo temporário "liderado por si, para adiar a data da saída do Reino Unido da União Europeia, marcada para 31 de outubro.

Após isso, seriam convocadas eleições antecipadas e, caso tenha êxito, o líder trabalhista pretende lutar pela realização de um novo referendo sobre o "Brexit".

A missiva surgiu após o primeiro-ministro britânico ter acusado os políticos anti-Brexit de uma "terrível colaboração" com a União Europeia.

"Há um tipo terrível de colaboração, por assim dizer, entre pessoas que pensam que podem bloquear o Brexit no Parlamento e os nossos amigos europeus... E os nossos amigos europeus não se estão a mover."

O primeiro-ministro britânico afirma que esta atitude aumenta a possibilidade de um "Brexit" se acordo em outubro o que, segundo os economistas, pode desencadear uma recessão no país.

Os apoiantes do "Brexit" defendem que a saída do bloco irá trazer novas oportunidades económicas, uma vez que a Grã-Bretanha poderá fazer acordos comerciais com os outros países.

No entanto, um acordo comercial entre os Estados Unidos da América e o Reino Unido poderá estar em risco caso o "Brexit" coloque em causa o Acordo de Sexta-feira Santa, que selou a paz na Irlanda do Norte.

O alerta partiu da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi.

Mas nem tudo são más notícias para Boris Johnson. A chanceler alemã, Angela Merkel, sublinhou que espera que a Grã-Bretanha mantenha uma parceria estreita com a União Europeia após o "Brexit".

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.