EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Garrafa traz mensagem do tempo da guerra fria

Garrafa traz mensagem do tempo da guerra fria
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma garrafa encontrada no Alasca, percorreu quase mil quilómetros, em 50 anos, com uma mensagem escrita por um antigo comandante da marinha russa.

PUBLICIDADE

50 anos depois de ter sido deitada ao mar, a mensagem numa garrafa, escrita em russo, foi encontrada intacta a quase mil quilómetros de distância.

Ninguém sabe por onde andou, mas foi encontrada em Anchorage, no Alasca, por Tyler Ivanoff.

Ivanoff partilhou a descoberta no Facebook, onde falantes russos a traduziram e perceberam que se tratava de uma garrafa deitada ao mar, em 1969, por Anatolii Prokofievich Botsanenko, um antigo comandante da marinha soviética. O ex-comandante, há muito reformado, não esconde a surpresa:

"Não sabíamos se levaria 100, 200 ou 300 anos até que alguém a encontrasse ou quem seria essa pessoa. Parecia muito provável que fosse arrastada para destinos russos, como as Curilas ou Sakalina, para o Japão ou para a China, ninguém sabia. Mas ninguém podia sequer imaginar que chegaria tão longe até aquelas partes. É incrível só de pensar onde esta garrafa esteve".

Onde ela esteve nunca se saberá, mas percorreu pelo menos os 966 quilómetros de distância entre Vladivostok, onde foi deitada ao mar a 20 de junho de 1969 e Anchorage, na parte ocidental do Alasca, onde foi encontrada.

Anatolii Botsanenko tinha 36 anos e servia na marinha soviética, em Vladivostok, quando deitou a garrafa ao mar.  A mensagem incluía um endereço e um pedido de resposta da pessoa que a encontrasse.

O comandante Botsanenko diz agora que pode ser o símbolo da amizade entre russos e americanos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu o antigo agente duplo britânico, George Blake

"Ucrânia vai parar Putin", diz Biden na abertura da cimeira da NATO

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão