A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Brexit: Emmanuel Macron afirma que "backstop" é para manter

Brexit: Emmanuel Macron afirma que "backstop" é para manter
Direitos de autor
رويترز
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Emmanuel Macron avisou Boris Johnson que a salvaguarda para a Irlanda, conhecida como backstop no acordo do Brexit é indispensável para conservar a integridade do mercado único e a estabilidade política da Irlanda.

O presidente francês recebeu o primeiro-ministro do Reino Unido, esta quinta-feira, no Palácio do Eliseu, em Paris, para um almoço de trabalho.

"No próximo mês, não vamos tentar encontrar um novo acordo de saída longe do essencial. Se há coisas no quadro em que Michel Barnier negociou que podem ser ajustadas e que estão em conformidade com dois objetivos que citei - estabilidade na Irlanda e a integridade do mercado único -, temos de as encontrar no próximo mês. Caso contrário, isso significa que o problema é mais fundo, que é mais político, que é um problema político britânico, e, nessa altura, não é a negociação que o pode resolver. É uma escolha política que o primeiro-ministro terá de tomar. Não nos cabe a nós fazê-lo", afirmou Macron.

Boris Johnson garantiu que: "sob nenhuma circunstância o Governo do Reino Unido irá instituir, impor, fiscalizações ou controlos de qualquer tipo nessa fronteira. Pensamos - e compreendo o seu desejo de proteger a integridade do mercado único, evidentemente que compreendemos isso -, mas pensamos que existem formas de proteger a integridade do mercado único e de permitir que o Reino Unido saia da União Europeia, no seu todo e de forma completa e perfeita".

O primeiro-ministro britânico acredita que é possível, nos próximos 30 dias, encontrar soluções positivas para evitar a saída desordenada do Reino Unido da União Europeia.

No entanto, mostrou-se irredutível e afirmou que o Brexit vai acontecer, impreterivelmente, no dia 31 de outubro, com ou em acordo.