A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Cordão humano em Hong Kong

Cordão humano em Hong Kong
Direitos de autor
REUTERS/Kai Pfaffenbach
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Três cordões humanos nas três principais linhas de metro. Hong Kong deu as mãos nesta nova forma de protesto. Uma manifestação pacífica pró-democracia, que relembra as correntes humanas feitas há 30 anos nos países bálticos, pela independência da URSS.

O cordão humano foi promovido nas redes sociais, para dar visibilidade às reivindicações de forma não-violenta. Inicialmente, o movimento de contestação dirigia-se apenas às emendas à lei da extradição propostas pelo governo de Hong Kong, mas tem vindo a evoluir.

Também houve uma marcha de contabilistas no centro da cidade, num desfile autorizado pela polícia para que o governo dê resposta às reivindicações. O aeroporto foi obrigado a encerrar na semana passada, quando os manifestantes barricaram passagens e entraram em confronto com a polícia.

Os protestos na região administrativa chinesa prolongam-se junho e têm sido marcados pela violência entre manifestantes e a polícia.