A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Novas taxas sobre importações entre China e EUA

Novas taxas sobre importações entre China e EUA
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Não há fim à vista para a guerra comercial entre Pequim e Washington. A China tinha anunciado a aplicação de novos impostos sobre os produtos dos EUA, cerca de 68 mil milhões de euros como forma de retaliação ao anúncio, da imposição de novas taxas, feito pelo Presidente norte-americano, no início do mês.

Donald Trump não gostou dos avanços de Pequim e, também na sexta-feira, anunciou um aumento das taxas aduaneiras para os produtos chineses. O chefe de Estado afirmou que há um "pequeno desentendimento" entre os dois países mas que o seu país vai sair vencedor. Que há este aumento de impostos entre os dois, que o seu país perde 550 mil milhões de dólares em importações chinesas e que está na altura de inverter a situação".

Portanto, os impostos sobre os produtos chineses sofrem um aumento de cinco por cento, já em outubro. Do lado da China são mais de cinco mil os produtos que passam a ser taxados entre 5% a 10%. Pequim anunciou também a reposição do pagamento do imposto, no valor de 25%, sobre os automóveis importados dos EUA.