Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Trump adia novas tarifas à China

Trump adia novas tarifas à China
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A imposição de novas tarifas nos EUA sobre as importações de produtos oriundos da China fica adiada, pelo menos até que Donald Trump se possa reunir com o homólogo Xi Jinping.

Em plena contagem decrescente para o fim da trégua comercial a 1 de março, o presidente dos EUA aliviou a tensão com a China.

Trump recorreu ao Twitter para falar em "progressos significativos" na última ronda de conversações: "Os EUA alcançaram progressos significativos nas negociações comerciais com a China em questões importantes e estruturais que incluem a proteção da propriedade intelectual, a transferência de tecnologia, agricultura, serviços, câmbios e outras matérias. Perante estas negociações muito produtivas vou adiar o aumento das tarifas americanas que atualmente estava previsto para o 1º de março. Assumindo que os dois lados fazem progressos adicionais, vamos planear uma cimeira com o Presidente Xi, em Mar-a-Lago, para fechar um acordo."

Os presidentes dos EUA e da China tinham chegado a acordo para uma trégua comercial de 90 dias com fim previsto no início de março.

À falta de um entendimento nas negociações, os EUA tinham admitido aumentos das tarifas entre os 10% e os 25% para os bens chineses que entrem em solo americano. O clima de incerteza tem gerado tensão entre os investidores.