Última hora

ONG italiana salva 100 migrantes, mas Salvini proibe entrada em Itália

ONG italiana salva 100 migrantes, mas Salvini proibe entrada em Itália
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cem migrantes foram resgatados nas últimas horas ao largo da costa da Líbia pelo navio 'Mare Jonio'.

Entre as pessoas socorridas estavam 26 mulheres, das quais oito estão grávidas, e 22 crianças com menos de 10 anos.

O Mare Jonio pertence à organização não-governamental italiana 'Mediterranea Saving Humans', que revelou que entre os migrantes que foram salvos há casos de hipotermia, vítimas de maus tratos e até tortura.

A lancha pneumática em que seguiam estava sobrelotada e a perder ar quando se deu o salvamento.

No entanto, o futuro permanece incerto para estes migrantes. As portas de itália foram fechadas por Matteo Salvini na quarta-feira, depois de o ministro do interior ter assinado um decreto a proibir o navio de entrar em águas italianas.

Este foi só mais um episódio da política de portos fechados e imigração zero defendida pelo polémico governante.

Porém, a medida poderá ter sido um dos seus últimos atos, face ao estabelecimento de um acordo político nesta quarta-feira para um novo governo no país e que deve implicar a saída de Matteo Salvini.

Já na última semana, 356 migrantes a bordo do Ocean Viking tiveram de desembarcar em Malta, após duas semanas de indefinição. A operação só foi possível graças ao acordo de seis países - entre os quais Portugal, disponível para ficar com 35 migrantes - para acolherem estas pessoas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.