A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Giuseppe Conte tenta formar Governo

Giuseppe Conte tenta formar Governo
Direitos de autor
REUTERS/Ciro de Luca
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

De primeiro-ministro demissionário, Giuseppe Conte enfrenta agora a difícil missão de formar um governo coeso entre dois partidos inimigos. O Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrático uniram-se num acordo para travar um inimigo comum: a Liga, de Matteo Salvini.

O entendimento entre os dois partidos é visto como a última hipótese antes de convocar os italianos para novas eleições, nas quais as sondagens apontam uma possível maioria da formação partidária de extrema-direita.

O desfecho da crise política surpreendeu os italianos, mas parece haver - por agora - o benefício da dúvida sobre esta solução de governo.

Matteo Salvini desencadeou a crise política com a moção de censura a Giuseppe Conte, mas as águas ficaram, entretanto, mais turvas para o líder da Liga.

De fora do governo, Matteo Salvini pressiona agora por novas eleições, procurando ficar bem na fotografia e capitalizar o apoio que lhe é dado pelas sondagens mais recentes.

"Não seria melhor ir às urnas? Ainda estamos a tempo, presidente Mattarella, já é hora de devolver o poder àqueles que o possuem neste país, os cidadãos italianos. A soberania pertence ao povo", disse o ex-ministro do Interior, numa mensagem publicada nas redes sociais.

O primeiro-ministro demissionário vai reunir-se com os principais partidos esta sexta-feira.

Na agenda de Giuseppe Conta deverão estar reuniões com o líder do Partido Democrático, Nicola Zingaretti, e o responsável do Movimento 5 Estrelas, Luigi Di Maio.

Os três políticos terão de se entender não apenas sobre a escolha de nomes e cargos, mas também sobre um programa político para o resto da legislatura.

Após a escolha do governo, Conte ainda terá de o submeter ao voto de confiança no Senado. O Partido Democrático e o 5 Estrelas não têm aqui a maioria, mas o sentimento de rejeição a Salvini e à Liga pode aproximar outras forças políticas decisivas para o voto.