A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Os incêndios em Moçambique e na Amazónia vistos do espaço

Os incêndios em Moçambique e na Amazónia vistos do espaço
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Esta semana, Luca Parmitano, astronauta da Agência Espacial Europeia (ESA) fala-nos das imagens e informações, recolhidas a partir do espaço, sobre os vários incêndios que destruíram vastas superfícies da Terra*.

Numa das mais recentes missões, os astronautas da Estação Espacial Internacional sobrevoaram vários continentes para documentar os estragos causados pelos incêndios. "Voámos sobre a floresta da Amazónia, sobre a Colômbia e sobre Moçambique e documentámos centenas de incêndios florestais. As pessoas fazem esses incêndios para criar espaço para as colheitas, sem perceberem que talvez estejam a destruir a nossa única possibilidade de sobrevivência, os pulmões da Terra. Exploram a Terra em vez de a deixarem permanecer um recurso natural", afirmou o astronauta da ESA, numa crónica realizada a partir do espaço em exclusivo para a euronews.

Incêndio visto do espaço

O furacão Dorian visto do espaço

Os astronautas que se encontram na Estação Espacial Internacional documentaram também a atividade e os estragos causados pelo furação Dorian. "Estivemos muito ocupados nas últimas duas semanas a fotografar o furacão Dorian, uma tempestade incrível vista do espaço, que atingiu as Bahamas. Conseguimos documentar as várias fases da formação, desenvolvimento e maturação da tempestade e documentar a devastação que ela provocou na terra", afirmou o astronauta italiano.

A responsabilidade humana nas catástrofes

Para Luca Parmitano não restam quaisquer dúvidas sobre a responsabilidade humana no aquecimento global do planeta e nas alterações climáticas. "Para os que ainda pensam que todas essas coisas não estão ligadas às atividades humanas, penso que temos muita culpa, porque estamos a criar muitos dos problemas atuais. Estamos a aumentar a violência desses fenómenos", frisou o astronauta da ESA.

*Em colaboração com a Agência Espacial Europeia (ESA).