A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Trump tentou esconder telefonema com Zelenski

Trump tentou esconder telefonema com Zelenski
Direitos de autor
REUTERS/Erin Scott
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Casa Branca terá tentado "esconder" a polémica conversa entre Donald Trump e o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenski. O relatório publicado ontem pela comissão do Congresso liderada pelos democratas que está a investigar o caso indica que a presidência norte-americana interveio para alterar o registo do telefonema para um sistema dedicado a mensagens classificadas.

Adam Schiff, presidente da Comissão dos Serviços Secretos da Câmara dos Representantes: "Como já disse, a queixa dá-nos um bom rol de alegações que precisamos de investigar. (...) A queixa vai mais longe do que o registo da chamada. Também indica que houve esforços para esconder o esquema, transferindo as comunicações para servidores construídos com objetivos completamente diferentes, para receber comunicações de operações secretas e outras informações extremamente sensíveis."

A 400 dias das eleições e ameaçado por um processo de destituição lançado pelos democratas - que no entanto tem poucas hipóteses de passar num Senado controlado pelos republicanos - Trump continua a negar ter agido mal:

"É uma desgraça para o nosso país. É outra caça às bruxas. É o Adam Schiff e a sua equipa, a inventar histórias e ali sentados como... Seja lá como for que lhe queiram chamar! É uma desgraça. É terrível para o país. Não conseguem fazer funcionar nada, estão bloqueados... Os democratas vão perder as eleições e sabem-no e é por isso que estão a fazer isto."

O escândalo rebentou depois de uma fonte anónima nos serviços secretos, identificada agora como um agente da CIA, ter revelado um telefonema entre Trump e Zelenski no qual o presidente norte-americano insistia para que o homólogo investigasse as atividades em território ucraniano do filho de Joe Biden, um dos principais rivais políticos. Trump e Zelenski negaram ter havido qualquer pressão nesse sentido.