A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

A arte do fabrico do surimi japonês

A arte do fabrico do surimi japonês
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Produzido no Japão há mil anos, o surimi japonês não tem nada a ver com o produto industrial vendido na Europa.

Surimi significa peixe picado em japonês. É um alimento delicado feito à mão, com grande precisão. A euronews esteve em Odawara, no Japão, para conhecer o fabrico tradicional do surimi na companhia do chefe francês Thierry Voisin. Dono de um restaurante no Japão premiado com uma estrela Michelin, Voisin sublinha que o kamaboko é uma das formas mais refinadas de surimi. "O kamaboko é uma arte extremamente nobre, à semelhança do judo. É uma forma de valorizar o peixe", sublinhou o Thierry Voisin.

Peixe fresco cortado com mestria

O kamaboko tradicional é feito de peixe fresco cortado de forma precisa. "O facto de trabalharmos à mão, permite-nos verificar o estado dos peixes, um a um, e adaptar a temperatura da cozedura. A massa fica mais ligeira o que é muito importante ao nível da textura", explicou Takashi Nakano, um mestre de Kamaboko entrevistado pela euronews.

O peixe é esculpido à mão numa tábua de madeira. Depois de cozinhado a vapor, é mergulhado em água fria. "Parece que foi feito à máquina, os bocados têm o mesmo tamanho, mas na verdade foi tudo feito à mão", sublinhou o chefe francês. O uso da água de montanha rica em minerais é um dos segredos do surimi fabricado em Odawara.

O kamaboko é vendido em lojas especializadas e é um dos alimentos servidos em dias de festa. "O sabor natural do peixe é preservado. Juntamos um pouco de mirin, que lhe dá um toque doce. É um alimento completamente típico da gastronomia japonesa. Temos a textura e o gosto japonês. Gostaria muito que as pessoas provassem este produto porque é excecional", concluiu Thierry Voisin.