A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

UE e Austrália empenhadas num acordo de livre comércio

UE e Austrália empenhadas num acordo de livre comércio
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Austrália e a União Europeia estão a negociar um acordo de livre comércio que poderá abrir mercados lucrativos para os produtores de ambos os países.

No entanto, existem alguns obstáculos a ultrapassar.

Entrevistado no programa da manhã na euronews o embaixador australiano em França, Brendan Berne, afirma que a prioridade para o seu país é conseguir um acesso justo aos mercados europeus.

"Um mercado de 500 milhões de pessoas na Europa vende mais produtos agrícolas à Austrália, um país de 25 milhões de pessoas. Não é preciso ser-se economista para perceber que existe aqui um desiquilíbrio e a Austrália, enquanto parte de um acordo de âmbito geral, gostaria de ver um maior equilíbrio no comércio", afirmou o representante australiano em França.

Entre as várias questões em aberto conta-se o tratamento dos migrantes pelas autoridades australianas, algo que é alvo de críticas por parte da Europa.

Mesmo assim, o embaixador australiano defende a abordagem do seu país.

"Isto são questões para os nossos amigos europeus. A Austrália chegou a esta abordagem depois de ter tentado outras abordagens. Achamos que encontrámos a melhor posição.
Os barcos pararam, há anos que não chega à Austrália um barco carregado de migrantes", afirma.

Apresentadora (euronews) Então está a dizer que foi um sucesso. Matteo Salvini também tinha a mesma estratégia...

"Estou a dizer que foi uma solução adaptada às nossas condições. Não me cabe a mim enquanto diplomata comentar o que outros países devem ou não fazer", rematou o embaixador australiano.

A Europa gostaria de ver a Austrália a fazer mais pela proteção do meio ambiente.

A União Europeia afirma que entre 2013 e 2020 as emissões poluentes têm vindo a aumentar tendo igualmente sido abertas novas minas de carvão para exportação.