Última hora

UE debate embargo de armas contra Turquia

UE debate embargo de armas contra Turquia
Direitos de autor
REUTERS/Khalil Ashawi - Mauro Bottaro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os chefes da diplomacia dos países da União Europeia debatem um eventual embargo de armas contra a Turquia, numa reunião, segunda-feira, no Luxemburgo.

A Alta Represente para a Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, sublinhou que ainda não há um consenso sobre a resposta à ação militar turca no nordeste da Síria.

"Penso que o ponto mais importante hoje será ouvirmos o Enviado Especial da ONU para a Síria, Geir O. Pedersen. Discutiremos com ele como poderemos ajudar a proteger o processo político face à nova escalada militar. Além disso, os Estados-membros discutirão até que ponto estão prontos para adotar algumas medidas que estão sobre a mesa", disse Mogherini aos jornalistas, à chegada para a reunião.

A maioria dos Estados-membros condenaram a invasão, mas França, Alemanha, Holanda e Áustria são alguns dos países mais empenhados no embargo de armas.

"Penso que travar a operação turca será difícil, não está ao alcance da União Europeia. Mas vamos debater um embargo de armas. O governo da Áustria está muito a favor de aplicar um embargo de armas por parte de toda a União Europeia. Se isso não for possível, cada um dos 28 Estados-membros vai decidir, unilateralmente, se deixa de enviar armas para a Turquia", explicou Alexander Schallenberg, ministro dos Negócios Estrangeiros da Áustria

Por seu lado, Stef Blok, homólogo holandês, disse: "É uma violação do direito internacional invadir um país vizinho e a Turquia deve, como todos os outros países, respeitar o direito internacional".

Os europeus deverão, ainda, concertar posições para novo diálogo com os Estados Unidos sobre a situação dos campos de detenção de membros dos Daesh e das suas famílias na região, bem como a ameaça de ressurgimento de ações do grupo terrorista.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.