Última hora
This content is not available in your region

"Nam June Paik" no Tate Modern

"Nam June Paik" no Tate Modern
Tamanho do texto Aa Aa

Um regresso ao futuro é umas das mais recentes propostas do Tate Modern. O museu de arte contemporânea, em Londres, apresenta ao público uma exposição do trabalho de Nam June Paik. São mais de 200 obras do artista sul-coreano que ficou para a história por ter inventado a arte vídeo, quando o vídeo enquanto produto de consumo ainda era pouco acessível para muitas pessoas.

A curadora do museu explica que Paik "queria que pensássemos sobre o que vemos, mas também que criemos os nossos canais. Portanto, ele estava mesmo a pensar em algo como o YouTube a meio do século XX, a dizer que toda a gente deveria ter o próprio canal de televisão".

Nam June Paik foi uma figura central do movimento Fluxus, usando como forma de expressão a música, a escultura e o vídeo. Morreu em 2006, mas a linguagem artística mantém-se viva, através dos trabalhos que deixou.

"São muito apelativos para os mais novos, até para a geração Z, porque são muito fixes. Por causa da tecnologia usada. E para as pessoas ligeiramente mais velhas é possível que pareçam muito retro. Tem algo de muito positivo e intemporal", conta o sobrinho, Ken Hakuta.

"Nam June Paik" vai estar aberto ao público no museu Tate Modern, em Londres, até 9 de fevereiro.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.