Última hora

Festival de Jazz de Baku: Unir culturas e formas de expressão

Festival de Jazz de Baku: Unir culturas e formas de expressão
Tamanho do texto Aa Aa

O Festival Jazz de Baku apresenta uma seleção eclética de música com forte foco no jazz europeu, também traz talentos do Azerbaijão para as luzes da ribalta.

Mas coube à banda de blues/rock turca, Feti Çaglayan, abrir o festival.

Três músicos, de três continentes, formam o “Freedom Trio”. Deodato Siquir vem de Maputo, Moçambique, Ruben Farias vem de Salvador da Bahia, Brasil e SteinarAadnekvam vem da Noruega.

Desde 2015 este trio já realizou mais de 120 concertos, em espaços fechados e em festivais pela Europa e EUA. O seu segundo álbum, intitulado "Freedoms Trio II", foi lançado no ano passado.

O grupo alemão MASAA, que vem de Dresden, tem um cantor libanês, Rabih Lahoud, ao qual se juntam um baterista/percussionista, um trompetista e um guitarrista. Todas as letras são escritas pelo vocalista que as canta em árabe e francês:

"A língua árabe desempenha um papel nesta banda, mas não no sentido de que está no centro, tem mais a ver com o som das palavras, é por isso que brinco com as palavras para criar um ambiente", refere Rabih Lahoud.

A pianista, cantora e compositora francesa Julie Erikssen junta a pop, ao jazz e aos blues. O seu álbum “Out of Chaos” foi lançado no ano passado:

"Eu sentia-me muito atraída pelo piano, quando era pequena e pela música clássica, então ouvia temas do Romantismo, Chopin, List etc. e comecei a gostar de cantar enquanto ouvia os discos de jazz dos meus pais e também cantei na igreja. Por isso, estou muito interessada no gospel que, na minha opinião, é realmente a essência do canto", explica a cantora.

Todas as noites, no Festival de Jazz de Baku, o palco está aberto para que os músicos se juntem em improvisos:

"O jazz tem tudo a ver com liberdade e absorção de influências musicais de todo o mundo. O programa deste festival mostra, muito bem, o quão criativo se pode ser quando músicos de diferentes nacionalidades e formação cultural trabalham juntos. Nas "jam sessions" músicos que não se conheciam surpreendem o público enquanto improvisam juntos", diz o correspondente da euronews no festival, Wolfgang Spindler.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.