EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

24 milhões por obra-prima ignorada durante anos

24 milhões por obra-prima ignorada durante anos
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pintura do artista italiano Cimabue, do século XIII, mede 25 por 20 centímetros. A proprietária, que desconhecia o autor e valor da obra, tinha a obra na cozinha.

PUBLICIDADE

24 milhões de euros, foi o valor pago em leilão por uma obra-prima de Cimabue encontrada numa cozinha.

A pintura a óleo do artista italiano do século XIII, conhecida como O Escárnio de Cristo, mede 25 por 20 centímetros.

A proprietária, que vive em Compiegne, no norte de França, ignorava o valor da obra e o seu autor, até que em junho foi aconselhada a levar o quadro a ser avaliado por especialistas.

"Foi a venda de todas as possibilidades. Com um pintor imenso, Cimabue, e uma obra de arte única. Não há outras. Todos os que queriam uma pintura de Cimabue estavam dispostos a tudo. A nossa estimativa sabia que havia um grande potencial. Chegar aos 10 ou 12 milhões já nos deixava imensamente felizes. Terminar em 24 milhões é mais do que poderíamos sonhar," afirmou o representante da leiloeira Actéon, Dominique Le Coënt.

A obra foi adquirida por um comprador anónimo de França,

De acordo com especialistas, a pintura pode ser parte de um díptico que Cimabue terá pintado, com oito painéis a representar cenas da Paixão de Cristo, e do qual são conhecidos dois painéis, expostos na Frick Collection, em Nova Iorque, e na National Gallery, em Londres.

Muitos consideram que Cimabue lançou as bases do Renascimento, ao quebrar com o estilo bizantino da idade média. Foi um dos primeiros a incorporar elementos de movimento e perspetiva nas obras.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Paris 2024: previsões do quadro de medalhas, factos, programa do dia de abertura e quais os recordes que poderão ser batidos

"Muro da Trégua" na Aldeia Olímpica apela à paz no mundo

Presidente da Câmara de Paris nada nas águas do rio Sena