Última hora

Mortes e consulado iraniano atacado no Iraque

Mortes e consulado iraniano atacado no Iraque
Direitos de autor
REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

A morte voltou a cair sobre os manifestantes no Iraque. Pelo menos 22 pessoas morreram esta quinta-feira, alegadamente abatidas pelas forças da ordem durante protestos contra o governo na cidade de Nassíria. Há também o registo de 180 feridos, alguns em estado crítico.

Os incidentes aconteceram durante a ação da polícia para retomar o controlo de duas pontes, bloqueadas por cerca de cinquenta pessoas, no quadro alargado de desobediência civil que se abateu sobre o país, em particular no sul. Um recolher obrigatório foi instaurado.

Horas antes, na cidade de Najaf, o consulado iraniano foi alvo da ira de manifestantes. Foi incendiado e ficou parcialmente destruído.

O ataque à representação consular faz subir de tom dos protestos, que se fazem sentir no país depois de semanas de contestação destinada a fazer cair um governo visto como corrupto e apoiado por Teerão.

É a mais forte expressão anti-iraninana até ao momento.

As autoridades criaram células de crise para tentar debelar os tumultos. A inabilidade do governo e da classe política em lidar com a contestação e responder às exigências populares tem suscitado críticas.

Até ao momento, desde o inicio da onda de protestos em outubro já morreram pelo menos 345 pessoas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.