Última hora

Greve climática em milhares de cidades

Greve climática em milhares de cidades
Tamanho do texto Aa Aa

Os jovens, aqueles que podem ser as principais vítimas das alterações climáticas, voltaram a ser a esmagadora maioria dos manifestantes que sairam às ruas em todo o mundo.

A Greve Climática Global desta sexta-feira aconteceu em mais de duas mil de cidades de mais de uma centena e meia de países.

"Estou aqui hoje porque, quando você morrer, eu ainda estarei viva e serei eu quem vai ter de lidar com o que vocês fizeram connosco. É a nossa vida que está em jogo," afirma uma jovem em Atenas.

"Estou aqui porque este é o grande problema em todo o mundo. Isto tem de parar, porque pode haver uma extinção em massa muito em breve," explica um jovem em Atenas.

A iniciativa da greve global partiu da adolescente sueca Greta Thunberg. A ativista na luta contra as alterações climáticas ficou conhecida por incentivar todos os estudantes a fazerem greve às "sextas-feiras, pelo futuro". Uma maneira de denunciar a inércia dos políticos nacionais e internacionais perante as alterações climáticas.

Greta Thunberg vai marcar presença na COP25 em Madrid e passa por Portugal.

"Manifestamo-nos para proteger o planeta do consumo excessivo, das compras inúteis que destroem o nosso ecossistema, o meio ambiente. E protestamos por sermos a única geração que está a enfrentar o problema," declarou uma jovem em Paris.

De recordar que o Parlamento Europeu declarou o estado de "emergência climática e ambiental" e defendeu que a União Europeia se deve comprometer a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 55% até 2030, para atingir a neutralidade climática até 2050.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.