Última hora
This content is not available in your region

Léman Express prestes a rolar

euronews_icons_loading
Léman Express prestes a rolar
Tamanho do texto Aa Aa

Descendo aos subterrâneos de Genebra, na Suíça, uma das cidades mais movimentadas da Europa, os engenheiros supervisionam as inspeções finais de uma rede ferroviária ainda por utilizar.

Esta é a estação de metro Geneve-Champel, uma das 45 estações que compõem a Léman Express.

O projeto ferroviário de 330 milhões de euros foi concebido para fazer face ao crescimento populacional não só em Genebra, mas também em várias cidades francesas do outro lado da fronteira, onde se incluem Annemasse, Bellegarde e Annecy.

A partir de 15 de dezembro, as cidades passam a estar ligadas por serviços rápidos e frequentes, através de 230 quilómetros de vias férreas. Esta será a a maior rede ferroviária regional transfronteiriça da Europa.

"Estou especialmente orgulhoso de estar aqui para a conclusão do Léman Express sabendo que tantas pessoas trabalharam neste projeto gigantesco." O presidente executivo da Lémanis SA, Mario Werren, afirma que esta rede ferroviária "não é apenas para a cidade de Genebra, mas também para toda a região onde vivem mais de um milhão de pessoas".

Genebra é uma das cidades mais congestionadas da Europa, com os seus habitantes a perderem mais horas em engarrafamentos do que os habitantes de cidades maiores como, por exemplo, Berlim, Toronto ou Xangai.

Os promotores do novo sistema ferroviário estimam uma redução no tráfego rodoviário de cerca de 12% nas horas de ponta.

"É importante que haja uma rede ferroviária bem estruturada, que permita uma mobilidade que era, realmente, inexistente - para além das redes locais e de alguns autocarros. Agora, vamos ter uma rede ferroviária, que pode transportar muitas pessoas, com comboios realmente rápidos para ligar as grandes cidades desta região", remata Werren.

"Pode parecer que está tudo muito tranquilo aqui, agora, mas quando esta estação abrir, dentro de pouco mais de duas semanas, vai fazer parte de uma rede que transporta mais de 50.000 passageiros, por dia. Muitos desses passageiros virão desta direção - trabalhadores de França, que vão a caminho de Genebra, para trabalharem, e depois de volta a casa, do outro lado da fronteira", conta o jornalista da euronews, Trent Murray.

O novo sistema ferroviário foi pensado para estar ligado às linhas de elétrico de Genebra de modo a que os utilizadores se possam movimentar, sem problemas, na cidade.

O arquiteto responsável pelo projeto da estação Geneva-Champel, Jean-Michel Bringolf, partilha que "uma rede deve estar ligada a outros sistemas de transporte e ligada à infraestrutura pública. Por exemplo, aqui na estação Champelle, estamos ligados ao hospital - um dos maiores hospitais da Suíça".

O primeiro comboio, desta nova rede, começa a circular pouco depois das das cinco horas da manhã do dia 15 de dezembro.