Última hora

Manifestantes regressam às ruas de Hong Kong

Manifestantes regressam às ruas de Hong Kong
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de manifestantes regressaram às ruas de Hong Kong no domingo duas semanas após o triunfo dos candidatos pró-democracia nas eleições locais realizadas a 24 de novembro.

Os manifestantes afirmam que se trata da "última oportunidade" para a chefe do território sob administração chinesa, Carrie Lam, aceder às reivindicações que resultaram do triunfo eleitoral.

Antes da manifestação de domingo a polícia afirmou ter apreendido várias armas de fogo na sequência de várias operações contra manifestantes.

"Segundo as nossas investigações, o objetivo seria utilizar as manifestações de domingo como pretexto para a utilização de armas de fogo e criar distúrbios. Isto inclui atacar os nossos polícias ou criar uma situação em que pessoas inocentes seriam atingidas", anunciou o superintendente da polícia Li Kwai-Wah.

Os últimos grandes confrontos entre os manifestantes pró-democracia e as autoridades tiveram lugar em meados de novembro aquando do cerco à Universidade Politécnica.

Desde as eleições locais que a chefe do executivo Carrie Lam não efetuou quaisquer concessões aos manifestantes pró-democracia.

Na segunda-feira assinalam-se seis meses sobre a primeira grande manifestação em Hong Kong na qual milhares de pessoas se insurgiram contra um projeto-lei que autorizava a extradição de pessoas para a China.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.