Última hora
This content is not available in your region

Johnson quer voto do Brexit antes do Natal

Primeiro-ministro britânico pretende acelerar processo de saída da União Europeia
Primeiro-ministro britânico pretende acelerar processo de saída da União Europeia   -  
Direitos de autor
ASSOCIATED PRESS pool AFP/ Lindsey Parnaby
Tamanho do texto Aa Aa

Desengane-se quem acredita que vai abrandar o passo da política britânica após as eleições. Pelo contrário, Boris Johnson avisa que agora é altura de remover todos os obstáculos ao Brexit, que quer ver concluído daqui a mês e meio. Com a maioria parlamentar alcançada no escrutínio, o primeiro-ministro pretende certificar-se que os 109 deputados conservadores que acabaram de ser eleitos estão todos em sintonia.

A Rainha vai abrir oficialmente a nova legislatura na próxima quinta-feira. E, no dia seguinte, o acordo de saída poderá ser logo levado à Câmara dos Comuns.

Do lado da Comissão Europeia, aguarda-se o desfecho deste processo para abrir a etapa seguinte, isto é, a definição da nova parceria estratégica com Londres.

Segundo o número dois do executivo britânico, Michael Gove, a meta de um Brexit a 31 de janeiro será cumprida e, "até ao final de 2020, estarão fechadas as conversações com a União Europeia sobre o novo quadro de livre comércio e cooperação".

Bruxelas alerta que este não é um calendário realista. E há ainda outras questões, como a vitória expressiva do Partido Nacional Escocês nas eleições, o que alimenta a pretensão de um novo referendo.

O líder parlamentar do partido em Westminster, Ian Blackford, relembra que, a grande promessa eleitoral "era dar aos escoceses o direito de escolherem o seu próprio futuro. Por isso, já existe um mandato para um referendo sobre a independência".

No meio de tudo isto, os Trabalhistas procuram assimilar a derrota devastadora e preparar a sucessão de Jeremy Corbyn.

Numa carta aberta, Corbyn assume responsabilidades no desaire eleitoral e, ao mesmo tempo, congratula-se por ter inscrito no debate político temas como a austeridade, as desigualdades e a emergência climática.

Para que Boris Johnson consiga manter a tão famosa promessa, em forma de slogan, de "cumprir o Brexit", tem de também conseguir agilizar os procedimentos num parlamento onde se deparou, até agora, com várias barreiras.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.