EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Johnson quer voto do Brexit antes do Natal

Primeiro-ministro britânico pretende acelerar processo de saída da União Europeia
Primeiro-ministro britânico pretende acelerar processo de saída da União Europeia Direitos de autor ASSOCIATED PRESS pool AFP/ Lindsey Parnaby
Direitos de autor ASSOCIATED PRESS pool AFP/ Lindsey Parnaby
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Boris Johnson recebe esta segunda-feira os novos deputados conservadores e acelera o passo para votar o acordo de saída da União Europeia.

PUBLICIDADE

Desengane-se quem acredita que vai abrandar o passo da política britânica após as eleições. Pelo contrário, Boris Johnson avisa que agora é altura de remover todos os obstáculos ao Brexit, que quer ver concluído daqui a mês e meio. Com a maioria parlamentar alcançada no escrutínio, o primeiro-ministro pretende certificar-se que os 109 deputados conservadores que acabaram de ser eleitos estão todos em sintonia.

A Rainha vai abrir oficialmente a nova legislatura na próxima quinta-feira. E, no dia seguinte, o acordo de saída poderá ser logo levado à Câmara dos Comuns.

Do lado da Comissão Europeia, aguarda-se o desfecho deste processo para abrir a etapa seguinte, isto é, a definição da nova parceria estratégica com Londres.

Segundo o número dois do executivo britânico, Michael Gove, a meta de um Brexit a 31 de janeiro será cumprida e, "até ao final de 2020, estarão fechadas as conversações com a União Europeia sobre o novo quadro de livre comércio e cooperação".

Bruxelas alerta que este não é um calendário realista. E há ainda outras questões, como a vitória expressiva do Partido Nacional Escocês nas eleições, o que alimenta a pretensão de um novo referendo.

O líder parlamentar do partido em Westminster, Ian Blackford, relembra que, a grande promessa eleitoral "era dar aos escoceses o direito de escolherem o seu próprio futuro. Por isso, já existe um mandato para um referendo sobre a independência".

No meio de tudo isto, os Trabalhistas procuram assimilar a derrota devastadora e preparar a sucessão de Jeremy Corbyn.

Numa carta aberta, Corbyn assume responsabilidades no desaire eleitoral e, ao mesmo tempo, congratula-se por ter inscrito no debate político temas como a austeridade, as desigualdades e a emergência climática.

Para que Boris Johnson consiga manter a tão famosa promessa, em forma de slogan, de "cumprir o Brexit", tem de também conseguir agilizar os procedimentos num parlamento onde se deparou, até agora, com várias barreiras.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Unionistas terminam bloqueio: parlamento da Irlanda do Norte pode retomar atividade no fim de semana

Batalha legal contra as "prisões" temporárias de requerentes de asilo em Inglaterra

Marcha pela reintegração do Reino Unido na União Europeia