Última hora
This content is not available in your region

Projeto europeu usa composto de cogumelos para produzir biopesticidas

euronews_icons_loading
Projeto europeu usa composto de cogumelos para produzir biopesticidas
Tamanho do texto Aa Aa

O composto dos cogumelos só pode ser usado um número limitado de vezes, antes de ser depositado em aterros. Um projeto europeu quer utilizá-lo para produzir biopesticidas.

A produção industrial de cogumelos tem uma grande desvantagem. Cada tonelada de cogumelos gera três toneladas de composto. O objetivo do projeto europeu Biorescue é desenvolver uma biorrefinaria sustentável para transformar o composto em biopesticidas e fertilizantes orgânicos.

A euronews visitou uma quinta de produção de cogumelos, na Irlanda. Para os produtores, ver-se livre do composto representa um custo económico e um desafio logístico. Mas os cientistas do projeto europeu consideram que é possível valorizar estes resíduos para criar novos produtos. "Para nós o composto é como um tesouro escondido. Atualmente o composto é colocado em aterros sanitários ou usado em terras agrícolas. A nossa ambição é usá-lo para criar produtos de elevado valor e que sejam úteis para a sociedade", explicou Peter Corcoran, presidente da MBio.

Cientistas espanhóis desenvolvem novo biopesticida

Uma parte da pesquisa sobre o composto de cogumelos decorre no Centro Nacional de Energias Renováveis (CENER), em Pamplona. Os investigadores espanhóis conseguiram produzir biopesticidas e fertilizantes biológicos a partir do composto de cogumelo. "Como a concentração de açúcares nos resíduos dos cogumelos é relativamente baixa, o que fazemos é misturá-los com palha de trigo", explicou Irantzu Alegría, bióloga do CENER.

A proteção da biodiversidade

Os açúcares obtidos através da transformação bioquímica do composto misturado com a palha permite fabricar pesticidas orgânicos, que protegem a biodiversidade. "Com os biopesticidas atacamos espécies específicas de doenças. Uma vantagem em relação aos inseticidas tradicionais que matam uma boa parte dos insectos do campo", explicou a investigadora espanhola.

Além da produção de biopesticidas e fertilizantes biológicos, o projeto europeu Biorescue visa criar nanotransportadores biodegradáveis ​​para medicamentos e novas enzimas. "É um caminho viável do ponto de vista técnico e económico. Obtemos produtos com valor acrescentado e evita-se colocar todo o material num aterro. Podemos dizer que o processo desenvolvido tem realmente benefícios para todas as partes", sublinhou David Sánchez González, engenheiro agrícola do CENER.