Última hora
This content is not available in your region

15 anos depois na onda de Banda Aceh

15 anos depois na onda de Banda Aceh
Direitos de autor
AP Photo/Jody Kurash
Tamanho do texto Aa Aa

O cenário idílico das praias de Banda Aceh, na ilha indonésia de Sumatra, já não exibe as marcas do poderoso sismo, seguido por um tsunami que há 15 anos varreu o sudoeste asiático, fazendo mais de 220.000 mortos.

As belas ondas que desfilam pelo litoral atraem um grande número de praticantes de surf, vindos dos quatro cantos do mundo. Mas para os surfistas locais, voltar a deslizar nestas ondas tem tanto de prazer, como de emoção.

Dery Setyawan, surfista e sobrevivente do tsunami: "Já não sentimos que esta onda é a que nos destruiu. Isso já não existe. Agora, as ondas são nossas amigas. Por isso, se questionam como podemos surfar a onda que antes nos matou, nós nunca pensámos dessa forma. Tratamos as ondas como nossas amigas, que estão ao nosso lado todos os dias."

Das réstias da tragédia, nascem novas atrações, como este antigo gerador a diesel flutuante transformado num museu, ou um barco de pesca levado pelo tsunami por quilómetros adentro em Banda Aceh e que agora se tornou numa curiosidade turística.

O sismo e tsunami de dezembro de 2004, que só na Indonésia fez 170.000 mortos, é considerado um dos mais mortíferos desastres naturais da História humana.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.