Última hora
This content is not available in your region

Centenas manifestam-se na Turquia contra ofensiva em Idlib

euronews_icons_loading
Istambul, Turquia
Istambul, Turquia   -   Direitos de autor  Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved   -   Lefteris Pitarakis
Tamanho do texto Aa Aa

Bandeiras da Coligação Nacional Síria cobriram a rua do consulado russo em Istambul, na Turquia, apesar da chuva. Centenas de manifestantes reuniram-se na cidade turca para mostrar o descontentamento pela ofensiva lançada pelas forças governamentais sírias na região de Idlib, a última controlada pelos rebeldes.

Os vários ataques aéreos do dia 8 de dezembro marcaram o fim de uma trégua de três meses. Fizeram dezenas de mortos. Os bombardeamentos continuam desde então.

Que a Rússia, e especialmente Bashar al-Assad (...) sejam julgados e responsabilizados por estes crimes de guerra (...)"
Gülden Sönmez
Manifestante turca

Aos jornalistas, uma advogada turca de 24 anos, presente no protesto, disse que está no protesto para "protestar contra o massacre" que acontece na Síria, e deixou um apelo: "Que todos os responsáveis pelos ataques sejam julgados e responsabilizados" pelos crimes "em noma da humanidade".

Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
Pai segura a filha no protesto em IstambulCopyright 2019 The Associated Press. All rights reservedLefteris Pitarakis

Quem também condenou os ataques foi a União Europeia, que deixou um apelo ao fim da escalada de violência de todas as partes envolvidas.

"A escalada da violência no noroeste da Síria por parte do regime sírio e seus aliados deve cessar. A última ofensiva inclui ataques aéreos indiscriminados contra civis e rotas de fuga", escreveu em comunicado o Serviço Europeu para a Ação Externa (SEAE).

De acordo com um relatório da ONU, mais de 235 mil pessoas foram obrigadas a sair da província de Idlib, no noroeste da Síria, só nas últimas duas semanas, depois da intensificação dos bombardeamentos russos e das forças do governo sírias.