Última hora
This content is not available in your region

"O pior ainda está para vir", dizem autoridades australianas

"O pior ainda está para vir", dizem autoridades australianas
Direitos de autor
AP
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades australianas deixaram o aviso de que "o pior ainda está para vir", em relação aos incêndios que assolam o país há quase dois meses.

Perante um cenário apocalíptico, Rob Rogers, do Serviço de Incêndios de Nova Gales do Sul, deixou o aviso para o próximo fim-de-semana.

"Há muito incêndio impossivel de controlar"
Rob Rogers
Serviço de Incêndios de Nova Gales do Sul

Na conferência de imprensa, Rob Rogers alertou para umas condições de trabalho "ainda piores" no próximo sábado, com "ventos muito fortes e temperatuas acima dos 40 graus celsius".

Rob Rogers disse ainda que "há muito incêndio impossivel de controlar".

O governo australiano já disponibilizou navios e aviões militares para ajudar a populção a escapar aos incêndios, os quais até ao fim da tarde desta quarta-feira já tinham provocado a morte a 17 pessoas.

A ajuda militar levará comida, água e bens de primeira neessidade a cidades e a aldeias que viram os acessos a serem cortados pelas chamas.

Euronews

Estima-se que 30% dos koalas não tenham sobrevivido. Há dezenas de pessoas feridas, desaparecidos e milhões de hectares que, outrora verdes, ficaram negros.

O último balanço aponta para uma área ardida do tamanho da Bélgica: 3 milhões de hectares só na região de Nova Gales do Sul. Correspondente a quase o dobro dos incêndios na Califórnia do ano passado, três vezes mais do a área ardida no incêndio da Amazónia deste ano.

No terreno estão 2500 bombeiros, numa luta que não tem dia marcado para terminar.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.