This content is not available in your region

Palestinianos rejeitam plano de paz de Trump

Access to the comments Comentários
De  euronews
Palestinianos rejeitam plano de paz de Trump
Direitos de autor  AP Photo, all rights reserved

"Mil vezes 'não'" foi a reação do presidente palestiniano ao plano de paz de Donald Trump para o Médio Oriente. E na Cisjordânia os habitantes também rejeitaram as propostas norte-americanas, que os críticos dizem favorecer fortemente Israel. Houve confrontos entre dezenas de palestinianos e soldados israelitas.

O plano foi apresentado por Trump ao lado do primeiro-ministro israelita e sem serem ouvidos os palestinianos. Abbas reagiu assim: "Quero dizer a Trump e Netanyahu que Jerusalém não está à venda e que os nossos direitos não estão à venda, nem são negociáveis e que este acordo conspirativo não será aprovado".

Trump propôs um estado palestiniano independente, mas anunciou que Jerusalém "permanecerá como a capital indivisível de Israel".

"Pedimos aos palestinianos que respondam aos desafios da coexistência pacífica", disse Trump.

"Espero que os palestinianos adiram e construam com Israel um futuro de prosperidade e paz", afirmou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

O presidente dos Estados Unidos reconhece a anexação de colonatos israelitas em território palestiniano e que Israel terá soberania no Vale do Jordão.

Numa carta enviada a Abbas, Trump explica que o plano exige o congelamento da construção de novos colonatos israelitas por quatro anos.

A ONU disse que um acordo de paz deve ser baseado nas resoluções das Nações Unidas, leis internacionais e acordos bilaterais.