Última hora
This content is not available in your region

Plano de paz não faz jus ao nome nas ruas de Belém

euronews_icons_loading
Plano de paz não faz jus ao nome nas ruas de Belém
Direitos de autor
AP Photo/Mahmoud Illean
Tamanho do texto Aa Aa

Como era de esperar, o plano de paz dos EUA não está a ser recebido por ambas as partes com sorrisos.

Vários palestinianos manifestaram-se nas ruas da cidade de Belém. Estão contra o que dizem ser um plano injusto.

_"Isto não nos dá direitos, a nós, como povo palestiniano. Portanto, rejeitamos o 'acordo do século'", _conta um palestiniano residente em Belém.

Ali ao lado, em Efrat, um colonato israelita na Cijordânia, a opinião é outra, em contraste.

"Acho que é um bom plano, tem muitas coisas boas, resolve muitos dos nossos problemas no que diz respeito à paz, segurança, economia e esperamos que os palestinianos não o rejeitem.", admite um residente israelita.

Apresentado pelo primeiro-ministro israelita e por Donald Trump, o Plano de Paz para o Médio Oriente está a ser criticado por favorecer Israel.

Além de vários compromissos, o acordo inclui a anexação por parte de Israel do Vale do Jordão e o reconhecimento de Jerusalém como a capital israelita.

O presidente da Autoridade Palestiniana reagiu ao plano, disse "mil vezes não" ao acordo e deixou a mensagem: "Jerusalém não está à venda".

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.