Última hora
This content is not available in your region

Guaidó e esposa agredidos no regresso a Caracas

euronews_icons_loading
Guaidó e esposa agredidos no regresso a Caracas
Direitos de autor
AP - Matias Delacroix
Tamanho do texto Aa Aa

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, protagonizou um regresso tumultuoso ao país, depois de uma digressão pela Europa, Canadá e Estados Unidos destinada a reforçar apoios contra o regime de Nicolás Maduro.

Guaidó, que tinha desafiado pela segunda vez uma proibição de sair da Venezuela, regressou a Caracas num voo da TAP proveniente de Lisboa e viu confiscados os documentos de identificação à chegada.

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e a esposa foram vítimas de agressões por parte de apoiantes de Maduro à saída do terminal do aeroporto de Caracas.

Mas Guaidó não desanima e, numa das primeira alocuções após o regresso, fez um novo apelo à mobilização contra o regime, que classificou de "ditadura", chamando à população, "enfermeiros, estudantes e sindicatos" para que "se façam ouvir".

O regresso do líder opositor ficou também marcado pelo desaparecimento do tio Juan José Márquez, que acompanhava Guaidó no avião desde Lisboa e foi intercetado pelas autoridades à chegada a Caracas. A denúncia foi feita no Twitter pela equipa de Guaidó, que exigiu a sua libertação.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.