Última hora
This content is not available in your region

Legislativas iranianas com olhos postos na participação

euronews_icons_loading
Legislativas iranianas com olhos postos na participação
Direitos de autor  AP Photo/Vahid Salemi
Tamanho do texto Aa Aa

Regime e oposição estarão particularmente atentos à taxa de participação nas eleições legislativas desta sexta-feira no Irão.

As autoridades esperam uma mobilização maciça com o objetivo de obter legitimidade, depois de meses de contestação, enquanto os opositores multiplicam os apelos ao boicote.

O Conselho dos Guardiões da Constituição, dominado pelos ultraconservadores, desqualificou mais de 7000 candidatos, sobretudo provenientes das correntes moderada e reformista.

A decisão veio exacerbar os espíritos, num contexto já particularmente tenso depois da violenta vaga de protestos provocada em novembro pela subida dos preços dos combustíveis.

Este é talvez o ambiente eleitoral mais glacial dos últimos 40 anos, porque é uma corrida com um único cavalo. Um lado conta com tudo, enquanto o outro está bastante limitado. Com Teerão no centro das atenções, não houve aí desqualificações significativas, para permitir uma concorrência, mas desqualificaram muitos reformistas noutras províncias para ganhar a maioria no parlamento.
Mostafa Tajzadeh
Frente de Participação do Irão Islâmico (partido reformista)

Nas últimas quatro décadas, a taxa média de participação em legislativas iranianas situou-se à volta dos 60 por cento.

Os apelos ao boicote ao escrutínio desta sexta-feira vêm também de opositores no exílio.

Hamidreza Homayounifar, euronews:"Tendo em consideração o desagrado económico e político crescente desde novembro, a taxa de participação nas eleições para o parlamento iraniano é uma grande preocupação. Mas independentemente do número de pessoas que votarão, é pouco provável que o resultado mude a direção das políticas internas ou externas."