Última hora
This content is not available in your region

Eleições legislativas na Eslováquia este sábado

euronews_icons_loading
Eleições legislativas na Eslováquia este sábado
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Os eleitores da Eslováquia vão no sábado às urnas, para escolherem um novo parlamento, do qual sairá o próximo governo.

Tudo indica que o Partido Conservador, OlaNO, será o mais votado, num país desencantado com a classe política.

Os eleitores reparam-se para enviar um cartão vermelho aos sociais-democratas do SMER, que governa o país desde 2012 e se viu envolvido em vários escândalos nos últimos anos.

A crer nas sondagens, o SMER não irá além da segunda posição com pouco mais de 15%. A esta projeção não será alheio o facto de o líder, Robert Fico, ter radicalizado o discurso e o partido, nas pisadas de Viktor Orban.

As divisões nas forças da oposição podem ser favoráveis à extrema-direita. O Partido Popular - Nossa Eslováquia, poderá alcançar a terceira posição no parlamento, com cerca de 10% dos votos.

Marian Kotleba aproveita o desencanto e o desnorte social-democrata para ganhar a confiança dos eslovacos. Há mesmo quem aposte que o partido poderá chegar ao segundo lugar.

A analista política Olga Gyarfasova, professora do Instituto de Estudos Europeus e Relações Internacionais da Universidade Comenius ajuda-nos a perceber quem são os eslovacos que votam na extrema-direita: "Não são apenas aqueles que são económica ou socialmente desfavorecidos, mas também aqueles que estão realmente bem. Há ainda o protesto e a raiva contra a elite política. É a elite política tradicional que torna este partido tão bem sucedido", afirma.

Para os jovens eslovacos, muito mais do que a tradicional escolha dos partidos, o que conta são as políticas. Um estudante universitário diz que "votará provavelmente em pessoas capazes de melhorarem os sistemas de educação e saúde".

Outra jovem afirma: "Enquanto estudante universitária, para mim os temas mais importantes estão relacionados com a educação, o extremismo e a corrupção. Quando eu votar, terei em consideração estes tópicos: quem lutará contra a corrupção, contra o extremismo e por uma melhor educação".

A repórter da Euronews, Beatrix Asboth, faz a síntese do que está em causa nesta eleição:

"Na história da Eslováquia independente esta será a oitava eleição parlamentar. Mais de 4 milhões de pessoas têm direito a votar. Uma das principais questões é se a extrema-direita ganhará o segundo lugar, como previam as sondagens, ou se os partidos liberais e a sociedade civil poderão motivar os seus eleitores contra a extrema-direita.