Última hora
This content is not available in your region

Emergência em Itália

euronews_icons_loading
Emergência em Itália
Direitos de autor  Cecilia Fabiano/LaPresse
Tamanho do texto Aa Aa

Numa altura em que cerca de um quarto da população italiana está de quarentena, o numero de infetados com o Coronavírus no país já ultrapassou o da Coreia do Sul. A Itália é agora a nação mais afetada depois da China.

O governo diz que existem 6387 casos. Num dia apenas, o número de mortes aumentou 57% para 366.

No dia anterior e numa tentativa de conter a propagação do vírus, as autoridades colocaram a Lombardia e outras 14 províncias em quarentena.

As medidas foram implementadas no meio de alguma confusão, Pessoas ainda correram para as estações durante a noite. No domingo ainda era possível comprar passagens de comboio ou avião.

"Decidi sair ontem à noite e à pressa. Escutei as notícias e foi assustador. Fiquei com medo de ficar aqui preso durante muito tempo".

A maioria das pessoas reagiu com alguma compreensão, criticando mesmo os que fugiram da quarentena.

"Vimos pessoas com o Coronavírus a quebrar a quarentena para ir esquiar em Trentino. Como é possível? Que egoísmo? Nesta altura estas medidas as são necessárias.

As principais cidades do norte de Itália - Milão e Veneza - geralmente a fervilhar de vida, estão literalmente paradas com restaurantes e lojas fechados para impedir o alastramento do vírus.

As atrações turísticas, escolas e infraestruturas desportivas, estão vazias em muitos locais do país, como em Roma, a capital, onde os principais locais turísticos como o coliseu, o fórum romano e outros foram encerrados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.