Última hora
This content is not available in your region

9 lugares para conhecer numa viagem à Croácia

9 lugares para conhecer numa viagem à Croácia
Direitos de autor  Nick Jane
Tamanho do texto Aa Aa

Outrora uma colónia grega, mais tarde uma província romana, a Croácia vive há séculos numa encruzilhada entre o Oriente e o Ocidente. Com influências de impérios, como bizantino, o otomano, o napoleónico, ou o austro-húngaro, a herança diversificada e turbulenta do país é um património rico que tornou a nação numa verdadeira jóia cultural.

Dos castelos, às igrejas e aos teatros, passado pela comida, o vinho e a música, reunimos uma lista de nove lugares que não deve perder para viver um pouco da cultura croata.

Goran Razic / Croatian National Tourism Board

1- Rijeka, Capital Europeia da Cultura 2020

Do que mais gostamos: Rijeka tem uma arquitetura neoclássica impressionante, um centro da cidade vibrante e um animado mercado central.

O que fazer: entre as montanhas e o mar, a geografia de Rijeka traz consigo uma abundância de oportunidades gastronómicas. Dirija-se ao principal mercado da cidade para experimentar tudo; desde o século XIX que o mercado é o local ideal para jantar e é também um tesouro arquitetónico da Arte Nova.

A cidade foi selecionada como Capital da Cultura da Europa 2020 e tem para oferecer um amplo programa cultural. Serão mais de 600 eventos realizados, incluindo exposições, espectáculos, óperas, conferências, concertos, festivais e muito mais. No Museu de Arte Moderna e Contemporânea, na Casa das Crianças, no Museu da Cidade de Rijeka e no Museu de Navios Galeb serão abertas ao público novas exposições.

A experimentar: as trufas de Ístria! A cidade vizinha é famosa pelos seus fungos pretos e brancos, encontrados nas florestas de carvalhos da Croácia.

Kristijan Arsov

2- Zagreb

Do que mais gostamos: Zagreb é um espelho do império austro-húngaro.

O que fazer: Pode visitar a maior parte da cidade a pé. Não perca a Catedral Neogótica de Zagreb, um ícone da capital croata, nem a Igreja de São Marcos, um dos edifícios mais antigos da cidade.

Zagreb afirma ter o maior número de museus per capita, portanto, dificilmente terá tempo para visitá-los a todos, mas não deixe de conhecer Mimara, o famoso museu de belas artes, nem o Museu da Cidade de Zagreb, para absorver a história da capital.

Pode caminhar pela rua Tkalčićeva, uma das ruas mais vibrantes da cidade desde há séculos, e depois passear pela rua Bogovićeva, um ótimo lugar para observar as pessoas, enquanto desfruta de um café croata.

Zagreb é o lugar ideal para encontrar uma variedade de cozinhas regionais. Pode experimentá-las no Dolac, o mercado central da cidade. Em outros lugares, procure o tradicional "konoba", um restaurante informal com iguarias locais.

Experimente Grenadir Marša, um saboroso prato de massa com cebola e queijo, Kajzeršmarn, uma sobremesa original de panquecas caramelizadas, os doces recheados com queijo local, conhecidos como Štrukli e os famosos biscoitos de pimenta.

Bónus: se visitar a cidade no final da primavera, provavelmente encontrará o 'Cest is d' best ', um dos muitos festivais de rua que transformam a cidade num grande palco, com teatro de rua, música, performances e atividades desportivas.

Aleksandar Gospic / Croatian National Tourism Board

3- Zadar

Do que mais gostamos: poder explorar três mil anos de história.

O que fazer: Caminhe pela cidade antiga a pé para descobrir os seus diversos monumentos. Comece pela a Igreja de São Donato, um monumento construído no século IX e a maior estrutura pré-românica da Croácia, que. hoje é usada principalmente como local de música medieval renascentista. A Catedral de Anastasia, construída nos séculos XII e XIII, também merece uma visita.

Zadar já foi a maior cidade-fortaleza da República de Veneza e as suas muralhas são outro marco da cidade. Juntamente com outros componentes transfronteiriços, elas formaram as Obras de Defesa Venezianas, entre os séculos XV e XVII, e são consideradas Património Mundial da UNESCO devido ao moderno esquema de fortificação marítima. De lá, siga para o Land Gate, a principal entrada histórica da cidade, construída em 1543. É considerado um dos melhores monumentos renascentistas de toda a Dalmácia.

Experimente: O mundialmente famoso licor de cereja Maraschino, uma receita centenária feita apenas localmente a partir das cerejas locais Marasca; o queijo de Pag, o queijo mais valioso da Croácia, com os sabores do Mediterrâneo e embebido em azeite; o brodet, um ensopado de peixe e caranguejo.

Jelaca. Source / Croatian National Tourism Board

4- Sibenik

Do que mais gostamos: a cidade histórica tem dois locais classificado pela UNESCO.

O que fazer: O primeiro ponto de referência listado pela UNESCO é a Catedral de São Tiago, uma basílica dos séculos XV e XVI. É elogiada pela fusão entre a arte gótica e a renascentista.

Durante séculos, os croatas temeram a invasão dos otomanos, daí Sibenik ter quatro fortalezas, sendo a mais formidável sendo São Nicolau (Tvrđava Sv Nikole), cuja arquitetura defensiva também é protegida pelo prestigiado Patrimônio Mundial da UNESCO.

Enquanto estiver em Sibenik, dê um passeio pelos jardins mediterrânicos medievais, restaurados pelo pelo premiado arquiteto paisagista Dragutin Kiš. Poderá encontrá-los junto do antigo Mosteiro de São Lourenço, que também merece uma visita. Os jardins estão abertos durante todo o ano e costumam acolher eventos ao ar livre, no verão.

Pratos tradicionais da Dalmácia são outro bom motivo para visitar a cidade. Vá a uma taberna à beira-mar para saborear um bom copo de vinho; Sibenik é a região vinícola do país.

Experimente: Crni rižot, um risoto preto com lula, servido com queijo ralado.

Hrvoje Klaric

5- Primošten

Do que mais gostamos: Nesta ilha por natureza, as características arquitetónicas de uma vila piscatória mediterrânica medieval permanecem preservadas.

O que fazer: Há cerca de cinco séculos, durante as invasões turcas, os habitantes do ilhéu construíram paredes, torres e uma ponte ligada ao continente para proteger a cidade. Quando os turcos recuaram, a ponte foi substituída por uma calçada. A cidade merece uma visita apenas pelo seu ambiente de vila costeira croata.

Comece no Portão da Cidade Velha, os restos de pedra das antigas muralhas. Depois, suba a colina e visite a igreja paroquial de São Jorge, construída no século XV, para aproveitar a vista única do mar.

Na cidade terá oportunidade para experimentar a culinária da Dalmácia, especialmente o vinho tinto Babić, acompanhado de queijo de cabra, presunto e azeitonas, todos eles produtos locais de Primošten.

Experimente: Rakia, outra especialidade local, que consiste num conhaque de frutas, popular nos Balcãs.

Denis Peros / Croatian National Tourism Board

6- Trogir

Do que mais gostamos: é conhecida como um "cidade-museu".

O que fazer: Trogir é considerada uma das cidades românico-gótica mais preservadas da Europa Central. O centro histórico da cidade é protegido pela UNESCO.

Dirija-se às belas igrejas românico-góticas, principalmente a Catedral de São Lourenço e a fortaleza medieval de Kamerlengo, construída pelos venezianos, nos anos 1400. A fortaleza também é usada para concertos, festivais, performances e exibições de cinema ao ar livre durante o verão.

Experimente: Pasticada, uma espécie de ensopado de carne e um dos pratos mais populares da Dalmácia. Todas as famílias têm a sua própria receita.

Bónus: assista a uma atuação de Klapa, uma forma tradicional de canto, classificada pela UNESCO, que geralmente inclui dois tenores, um baixo e um barítono, em canções a capella para celebrar o amor, o vinho, a pátria e o mar.

Kris Sliver

7- Split

Do que mais gostamos: Uma jóia histórica com sua cidade velha e o palácio diocleciano, com 1700 anos.

O que fazer: Visitar o antigo centro da cidade é como fazer uma viagem no tempo. Comece por conhecer o palácio de Diocleciano, classificado pela UNESCO, um monumento do século IV incrivelmente bem preservado. Não perca a Catedral de São Dómnio, que foi também o mausoléu do imperador Diocleciano. A parte central da estrutura data de 350 A.C., o que faz da catedral uma das mais antigas do mundo.

A Praça Peristil também deve estar na sua lista, uma corte romana original, onde você pode admirar a grande arquitetura da antiga Split. Os monumentos de pedra ao seu redor deram à praça grande acústica, vigia de óperas e apresentações de teatro durante o verão.

Poderá perder-se na cidade velha, um labirinto de ruas de paralelepípedos a cercar o palácio de Diocleciano, mas certifique-se de que encontra o caminho para a Praça do Povo para contemplar o relógio. Termine o dia com um passeio ao longo do Riva Promenade, o porto de Split, onde pode encontrar um sítio para comer. Split tem uma restauração em expansão e foi pensada para refeições ao ar livre.

Experimente: Soparnik, um dos pratos tradicionais autênticos da Croácia, uma saborosa tarte fina recheada com acelgas.

Bónus: se visitar Spli em agosto, não perca outro evento homenageado pela UNESCO: Sinjska Alka, um torneio equestre realizado desde 1717 em Sinj (a cerca de 45 minutos de Split).

Ivo Biocina / Croatian National Tourism Board

8- Hvar e Stari Grad

Do que mais gostamos: Hvar é habitada desde os tempos pré-históricos.

O que fazer: a localização de Hvar, no centro das rotas de navegação do Adriático, transformou a ilha num próspero centro de artes e cultura. A cidade abriga o Teatro Público de Hvar, um dos primeiros teatros da Europa, que voltou recentemente a abrir ao público, após mais de duas décadas a ser restaurado. Agora, está aberto para visitas e tem espectáculos durante todo o ano.

Os gregos antigos também fundaram a colónia de Pharos em 384 A.C., no lado norte da ilha, o que atualmente faz de Stari Grad uma das cidades mais antigas da Europa. A paisagem agrícola, um marco que exibe o antigo sistema geométrico de divisão de terras usado pelos gregos, permaneceu praticamente intacta por mais de 24 séculos e está classificada como Património Mundial da UNESCO.

Experimente: Gregada, um simples ensopado de peixe com batatas, provavelmente trazido pelos gregos e considerado a maneira mais antiga de cozinhar peixe na Dalmácia. Prove também a salada de polvo, um clássico do país e uma especialidade de Hvar. Combine-o com o vinho Bogdanuša, feito a partir das uvas brancas locais.

Patricia Jekki

9- Dubrovnik

Do que mais gostamos: por algum motivo é chamada a "Pérola do Adriático".

O que fazer: Rodeada por fortalezas, Dubrovnik oferece obras arquitetónicas e culturais preservadas ao longo de séculos. Comece a caminhar no monumental Pile Gate, localizado no topo de Stradun, a principal rua para pedestres da cidade velha. Visite a catedral, construída nas ruínas de uma igreja do século XII e dê um passeio pelas ruas de pedra calcária da cidade para admirar os edifícios barrocos. Mais tarde, ao entardecer, suba as escadas para as muralhas da cidade para ter uma vista privilegiada da cidade velha e do mar, durante o pôr do sol sobre o Adriático. Em breve, vai aperceber-se da razão para a cidade ter sido usada como cenário para mítica série "Guerra dos Tronos".

A vida cultural de Dubrovnik é vibrante, com vários festivais, concertos ao ar livre, jardins, performances e exposições, a decorrer em locais históricos, como o átrio do Palácio Sponza.

Durante a época estival, o destaque cultural é o Festival de Verão de Dubrovnik. A cidade torna-se num grande palco para espectáculos de teatro, jazz, balet e concertos. Também vale a pena seguir a Orquestra Sinfónica de Dubrovnik, com concertos durante todo o ano e eventos sazonais.

Experimente: Zelena Menestra, ou o ensopado verde, um prato que existe desde o século XV. Entre os ingredientes estão bacon defumado e presunto, salsichas caseiras, repolho, batata e outros vegetais. Experimente também a Rožata, uma sobremesa medieval tradicional de Dubrovnik, semelhante ao leite-creme com um ingrediente muito especial: água de rosas ou licor de pétalas de rosa.