Covid-19 testa solidariedade europeia

Covid-19 testa solidariedade europeia
Direitos de autor Marcel Kusch/dpa via AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Itália regista o maior número de mortes do mundo e é um dos países europeus que recebe mais apoio

PUBLICIDADE

A solidariedade dentro da União Europeia, travada no início da pandemia pelos controlos nas fronteiras, está lentamente a ganhar espaço.

Este domingo, um helicóptero militar transferiu dois pacientes da cidade francesa de Metz para a Alemanha. No sábado, os militares alemães transportaram seis doentes de Bérgamo para vários hospitais de Colónia. A Alemanha também já acolheu doentes do leste de França.

Para o ministro das finanças alemão, "mais do que nunca, a solidariedade é necessária em todo o mundo". Olaf Scholz defende que depois da crise todos os estados membros devem reforçar a união dentro da Europa.

A solidariedade europeia foi particularmente criticada depois da cimeira extraordinária, da última semana, dedicada à crise do novo coronavírus. Os líderes europeus prometeram cooperação, mas não chegaram a acordo sobre a emissão de títulos de dívida europeia para apoiar os países mais afetados pela pandemia.

A Itália regista o maior número de mortes do mundo e é um dos países europeus que recebe mais apoio. Trinta médicos e enfermeiras albaneses chegaram ao país para ajudar na luta contra o coronavírus. O grupo vai trabalhar nos hospitais de Brescia e Bergamo.

A República Checa também vai ajudar Itália e Espanha. Vai enviar para cada país 10000 fatos de proteção descartáveis para o pessoal médico que o governo de Praga recebeu da China.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Histórias de solidariedade em tempos de "guerra" contra a Covid-19

Morreu o estilista Roberto Cavalli aos 83 anos

Greve em Itália após explosão mortal em central hidroelétrica