Última hora
This content is not available in your region

Trump não decreta quarentena nos estados mais atingidos pela COVID-19

euronews_icons_loading
Trump não decreta quarentena nos estados mais atingidos pela COVID-19
Direitos de autor  Bebeto Matthews/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Nos Estados Unidos, Donald Trump renunciou à ideia de decretar uma quarentena para os estados com maior número de casos da COVID-19 - Nova Iorque, Nova Jérsia e Conneticut.

A hipótese de uma possível quarentena tinha gerado controvérsia. Numa mensagem no Twitter, Trump diz que com base nas recomendações da equipa que gere a crise no coronavírus na Casa Branca e depois de falar com os governadores, decidiu que serão apenas feitos avisos e conselhos às populações.

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo manifestou-se contra a ideia de quarentena, ou barreiras à circulação entre os estados.

Cuomo disse que a perspetiva de uma quarentena não tinha surgido na conversa com Donald Trump, no sábado, acrescentando acreditar que seria ilegal, economicamente catastrófica, "absurda" e míope. "Fechar o capital financeiro do país chocaria o mercado de ações e "paralisaria a economia".

Opinião contrária tem o governador da Florida, Ron DeSantis, que acusa os viajantes, nomeadamente vindos de Nova Iorque, de trazerem o vírus para o estado. Os governadores da Florida, Maryland, Carolina do Sul e Texas já ordenaram que as pessoas chegadas da região de Nova Iorque cumpram quarentena obrigatória de 14 dias.

Em Nova Iorque, as enfermeiras do Jacobi Medical Center desencadearam um protesto. Acusam a direção do hospital de pôr as suas vidas em risco ao obrigá-las a reutilizarem os equipamentos de proteção.

Os Estados Unidos têm mais de 120 mil infetados pelo coronavírus com mais de duas mil mortes de COVID-19.