EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Trump quer enviar ventiladores para a Europa

Trump quer enviar ventiladores para a Europa
Direitos de autor Alex Brandon/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Alex Brandon/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Várias empresas nos EUA estão a produzir equipamento médico para combater a covid-19. O presidente Donald Trump quer enviar excedentes para países europeus em crise.

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos da América preparam-se para estender a mão à Europa. Numa altura em que os sistemas de saúde europeus se debatem contra a sobrelotação causada pelo crescente número de pacientes com covid-19, o presidente Donald Trump anunciou, esta segunda-feira, que pretende enviar equipamento médico de proteção para Itália, França e Espanha.

Só Itália vai receber equipamento hospitalar avaliado em 100 milhões de dólares (o equivalente a mais de 90 milhões e 400 mil euros).

Em conferência de imprensa, o chefe de Estado norte-americano aproveitou a oportunidade para relembrar que, à semelhança do que outras nove empresas estão a fazer no país, a Ford e General Electrics anunciaram a produção conjunta de 50 mil ventiladores em menos de 100 dias. O objetivo é suprimir as necessidades nacionais e enviar o excedente para outros países em dificuldades durante a crise sanitária.

Com mais de 160 mil casos confirmados nos Estados Unidos, só no estado de Nova Iorque a infeção já matou mais de 1200 pessoas. Para tratar de pacientes não-infetados, chegou esta semana à cidade um navio hospitalar com uma capacidade de mil camas, 12 salas para cirurgias e uma morgue.

Com quase três quartos dos norte-americanos em confinamento voluntários, as ruas vão continuar praticamente vazias, enquanto o país aguarda o pico da doença, estimado para maio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

OMS defende estratégia de saúde pública além da quarentena

Espanha supera China no número de contágios pelo novo coronavírus

Roménia constrói hospital em oito dias