Última hora
This content is not available in your region

Mais 1.400 pessoas vencem a Covid-19 em Itália e 766 infetados morrem

euronews_icons_loading
Mais 1.400 pessoas vencem a Covid-19 em Itália e 766 infetados morrem
Direitos de autor  Claudio Furlan/LaPresse
Tamanho do texto Aa Aa

Itália registou mais 766 mortes associadas à Covid-19 e mais 4.585 novas infeções. Os valores globais subiram para as 14.681 mortes e os casos ativos de infeção ascendem agora aos 85.388.

O número de pessoas recuperadas no último dia voltou a ultrapassar as 1.400, tal como na véspera, e aumentou os triunfos sobre a doença para os 19.758.

As autoridades de saúde enaltecem a estabilidade dos números de casos ativos de infeção e lamentam em simultâneo a mesma estabilidade nas óbitos diários. Há ainda assim um alívio na pressão sobre os hospitais.

A Proteção Civil italiana estabelece a relação entre as novas infeções registadas e os testes efetuados desde quinta-feira: 39.809 ontem e 38.617 hoje.

O cálculo mantém-se estável, com uma infeção confirmada a cada 8,4 testes realizados, para uma taxa de 11,8%, o valor mais baixo desde há um mês.

Na relação de testes efetuados e infeções confirmadas, a Proteção Civil salienta o registo de de 2.339 resultados positivos.

Na Lombardia, a região italiana mais afetada pela pandemia, aumentaram os casos de infeção em 1.455 desde a atualização de ontem à tarde, mas os responsáveis relacionam a subida à maior quantidade de testes realizados desde então na província.

Proteção Civil de Itália
Atualizado às 18h de 03/04/2020Proteção Civil de Itália

Só em Milão, a subida foi de 387 infeções, quase uma centena a menos que na quinta-feira.

A Lombardia regista mais 351 mortes associadas à Covid-19 face a ontem, menos seis que na véspera, aumentando a tragédia local para 8.311 mortos.

As autoridades sanitárias locais respiram um pouco de alívio perante o abrandamento no número de infeções.

"É reconfortante. Travou-se o aumento e estamos numa fase de estabilização que tende a diminuir. Nas urgências, algumas tiveram uma redução significativa, outras mais ligeira, mas constante. Os nossos hospitais começam a respirar", afirmou Giulio Gallera, assessor regional na Lombardia para o bem-estar, citado pelo jornal La Repubblica, garantindo: "os dados mostram que o nosso esforço começa a dar resultados".