Última hora
This content is not available in your region

Itália inicia queda no número de internamentos por Covid-19

euronews_icons_loading
Itália inicia queda no número de internamentos por Covid-19
Direitos de autor  Claudio Furlan/LaPresse
Tamanho do texto Aa Aa

Itália registou este domingo pela primeira vez uma queda no número de pessoas hospitalizadas devido à Covid-19.

O país mais afetado pela pandemia em todo o mundo manteve também a redução das tendências de redução dos pacientes em cuidados intensivos, iniciada sábado, e de novas mortes, face a sexta-feira.

As notícias são boas, mas a situação continua trágica em Itália com a morte de mais 525 pessoas, para um total agora de 15.887 óbitos associadas à Covid-19.

O número de pessoas infetadas pelo novo coronavírus em Itália subiu mais 4.316 este domingo, das quais 2.972 são consideradas pelas autoridades italianas como novos doentes ou pacientes com sintomas da Covid-19.

Proteção Civil de Itália
Atualizado às 18 horas (CET) de domingo, 05 de abril de 2020Proteção Civil de Itália

A relação entre o número de novos infetados e os testes efetuados nas 24 horas anteriores à atualização destes dados (34.237) é agora de 1 positivo a cada 7,8 testes, equivalente a uma taxa de 12,8%.

Dos hospitais, entre as 18 horas de sábado e as 18 horas deste domingo, saíram 61 pessoas, libertando também 17 camas nos cuidados intensivos.

O número de recuperados da infeção baixou em relação aos últimos dias, mas ainda assim há mais 819 pessoas em Itália que podem celebrar a vitória sobre a Covid-19, elevando o total de "altas" passadas nesta pandemia para as 21.815 em Itália e alargando uma vez mais a diferença para o número total de óbitos.

Governo trabalho contra o tempo

O primeiro-ministro italiano debate novas medidas governativas para mitigar os danos da pandemia na economia italiana.

O futuro de Itália está também dependente das decisões a serem tomadas terça-feira pelo Eurogrupo, liderado por Mário Centeno, mas a tensão entre membros do Governo de coligação e também a pressão colocada pela oposição podem vir a influenciar as decisões de Giuseppe Conte.

Itália pede mais solidariedade as parceiros europeus, mas a imposição do recurso ao Mecanismo Europeu de Solidariedade (MES) continua a ser uma hipótese e o braço-de-ferro deverá manter-se na União Europeia, mas também em Itália.

Este domingo de manhã, Conte reuniu-se com o ministro da Economia e com o administrador da Casa de Depósito e Empréstimo para debater os eventuais instrumentos para implementar as garantias estatais de financiamento bancário às empresas . Mantêm-se divergências técnicas e políticas no processo.

Enquanto trabalha com o Governo na sobrevivência económica do país, o primeiro-ministro deixou também um apelo aos italianos para continuarem a respeitar as medidas de confinamento e de mitigação da ação da Covid-19, única forma, disse, de Itália continuar a ganhar terreno à ação do SARS-CoV-2.