EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Trump insiste na "libertação" da economia

Trump insiste na "libertação" da economia
Direitos de autor Mark Lennihan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Mark Lennihan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente considera que muitos estados estão numa boa posição para sair do confinamento e garante que Washington vai ajudar as autoridades estatais

PUBLICIDADE

O presidente dos Estados Unidos continua a insistir no fim do isolamento social em vários estados do país. Um dia depois de traçar um plano para reabrir gradualmente a economia norte-americana, Donald Trump voltou a pedir aos governadores para aliviarem as restrições. O presidente afirmou que que muitos estados estão numa boa posição para reabrir a economia, garantindo que Washington vai trabalhar e ajudar as autoridades estatais.

Durante a semana, em vários estados como Idaho e Michigan foram organizados protestos contra as restrições e as recomendações de isolamento da Organização Mundial de Saúde.

O governador do Texas foi o primeiro a seguir as indicações do presidente. Esta sexta-feira, o republicano Greg Abbot anunciou as primeiras medidas de um regresso gradual à normalidade.

Quem continua muito crítico em relação à forma com Donald Trump tem gerido a pandemia no país é o governador do Estado de Nova Iorque.

Na habitual conferência de imprensa diária sobre a covid-19, Andrew Cuomo respondeu às últimas críticas do presidente e disse que Donald Trump devia trabalhar no terreno “em vez de ficar em casa a ver televisão”. Para Cuomo, Nova Iorque só pode começar a aliviar as medidas de confinamento quando o governo federal acionar um plano global de despistagem doença, através de testes.

O Estado de Nova Iorque é o mais afetado pela pandemia, com mais de 12800 mortos. Em todo o país, neste momento, há quase 37 mil mortes confirmadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Covid-19 provoca braço-de-ferro entre Trump e governadores

Robert de Niro chama "palhaço" a Donald Trump à porta do tribunal

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa