Última hora
This content is not available in your region

Educação digital sem computador

euronews_icons_loading
Educação digital sem computador
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

As escolas húngaras estão fechadas há mais de um mês por causa da pandemia. Os professores dão as aulas por videoconferência e os alunos enviam os trabalhos de casa pelo computador.

Mas no distrito de Cinevég, no norte da Hungria, a situação é diferente. A maioria das famílias não tem computador nem smartphone.

Amanda e Felícia são alunas dedicadas. A irmã mais nova quer ser polícia e a mais velha enfermeira. Mas sem internet o estudo é mais difícil e lento. Todas as semanas, a escola envia uma folha com a matéria que é preenchida e enviada pelos correios até sexta-feira.

euronews

Amanda conta que aprender assim é muito pior do que na escola e que sente falta dos professores porque ninguém explica as regras e as tarefas.

As empresas locais tentam ajudar os alunos. Graças a um movimento criado pelo presidente da câmara, 33 crianças receberam dispositivos eletrónicos para aprender.

Richárd Szabó é assistente social e está envolvido neste grupo de ajuda aos alunos. Explica que os computadores portáteis e os tablets foram doados para crianças carenciadas. No início, havia muitas ofertas mas agora há cada vez menos.

Para a maior parte das crianças das comunidades ciganas da Hungria a escola não significa apenas a oportunidade de sair e fazer amigo, é também um ambiente de segurança.

A escola das raparigas está fechada desde março. Mas os professores podem entrar para colocar as fichas de trabalho e as crianças mais pobres para receber algumas refeições gratuitas.