Última hora
This content is not available in your region

UIm ano após ciclones, apenas 23% da ajuda chegou ao norte do país

Access to the comments Comentários
De  Agência Lusa
Uma criança recolhe garrafas de plástico na cidade moçambicana da Beira
Uma criança recolhe garrafas de plástico na cidade moçambicana da Beira   -   Direitos de autor  KAREL PRINSLOO / UNCDF / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Um ano após o ciclone tropical Kenneth atingir o norte de Moçambique, mais de 390.000 pessoas receberam assistência, mas só 23% do apoio financeiro necessário para a região foi obtido, refere um levantamento das Nações Unidas.

A verba total esperada ascende a 113 milhões de dólares (104 milhões de euros) e serviria para responder a um orçamento de apoio humanitário pós-Kenneth até maio deste ano, incluindo ajuda devido à violência provocada por grupos armados na região - e sem incluir verbas governamentais.

"Um ano após o ciclone tropical Kenneth atingir o norte de Moçambique, mais de 390.000 pessoas receberam assistência crítica, como alimentos, água potável e abrigos", destaca a ONU.

No entanto, a situação na região "deteriorou-se nos últimos meses".

"Inundações em dezembro de 2019 e janeiro deste ano obrigaram mihares de pessoas a deslocar-se e infraestruturas chave foram danificadas, exacerbando as necessidades de mais de 200.000 pessoas que ainda moram em casas destruídas ou danificadas e outras 6.600 pessoas ainda em tendas", retrata o levantamento.

Ao mesmo tempo, há alertas sanitários: em fevereiro, um surto de cólera foi declarado na ilha do Ibo e nos distritos de Macomia e Mocimboa da Praia, sendo que a maior zona de construção do país, o megaprojeto de gás da Área1, concentra o maior número de casos registados de covid-19 no país (cerca de 50).

"Tudo isto acontece tendo como pano de fundo a insegurança em Cabo Delgado, que já afetou pelo menos 162.000 pessoas e provoca sucessivos deslocamentos, inclusive em áreas ainda a lutar para recuperar do ciclone Kenneth", acrescenta.

O Fundo Central de Resposta a Emergências das Nações Unidas já tinha alocado 10 milhões de dólares para a resposta ao ciclone Kenneth e destinou este mês sete milhões adicionais para responder às necessidades.

O ciclone atingiu Moçambique em abril de 2019 e matou 45 pessoas no Norte do país.