Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido ultrapassa Espanha e França em mortes por Covid-19

euronews_icons_loading
Virus Outbreak Britain Masks
Virus Outbreak Britain Masks   -   Direitos de autor  Kirsty Wigglesworth/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido acrescentou mais de 4 mil novas mortes à contagem de vítimas de Covid-19, depois de ter começado a contar também os óbitos nos lares de terceira idade e nas casas particulares, que não tinham ainda sido contabilizados. Com esta atualização dos números, o país tem agora mais de 26 mil pessoas mortas pelo novo coronavírus, ultrapassando Espanha e França.

O ministro dos Negócios Estrangeiros Dominic Raab continua a chefiar interinamente o governo e anunciou que o confinamento obrigatório vai durar. Até porque há o perigo de uma segunda vaga.

"Esta questão do segundo pico e da necessidade de o evitar não é um risco teórico nem é algo que se limite ao Reino Unido. A Alemanha aliviou as medidas durante a última semana e assistiram já a um aumento da taxa de transmissão do coronavírus. A Chanceler Merkel afirmou publicamente e deixou claro que poderão vir a precisar de um segundo confinamento na Alemanha se a taxa de infeção continua a aumentar", disse.

Esta questão do segundo pico e da necessidade de o evitar não é um risco teórico nem é algo que se limite ao Reino Unido.
Dominic Raab
Chefe interino do governo britânico

Boas notícias em Itália e França

O número de infeções e mortes por coronavírus continua a diminuir em Itália, onde há menos pressão nos hospitais, cinco dias depois dos primeiros passos para a reabertura do país. O ritmo dependerá da evolução da pandemia. A curva de contágio continua em baixa. Das 27.682 pessoas infetadas registadas em Itália, morreram 323 nas últimas 24 horas, o número mais baixo até agora nesta semana.

As autoridades sanitárias garantem que o país está agora equipado para responder a picos de infeção ainda maiores do que os da primeira fase da emergência: "Temos ventiladores em stock que estamos à espera de distribuir se o vírus voltar. Estamos equipados para suportar picos ainda mais elevados do que os da primeira fase". Ninguém consegue resistir ao apocalipse, mas todos nós acreditamos que isso não vai acontecer", disse Domenico Arcuri, Comissário Especial italiano para o coronavírus.

Em França, o coronavírus matou mais 427 pacientes nas últimas 24 horas. A boa notícia é a diminuição dos doentes internados nas unidades de cuidados intensivos. Foram menos 180 registados esta quarta-feira. O balanço da epidemia é, até agora, de 24 087 mortos desde 1 de março, incluindo pouco mais de 15000 em hospitais e cerca de 9 mil em estabelecimentos sociais e médico-sociais, incluindo lares de idosos

As autoridades francesas anunciaram terça-feira um plano gradual de levantamento da quarentena e alertaram para o facto de o processo poder ser revertido em caso de um novo pico de infeção.