Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de segunda-feira, 4 de maio

Virus Outbreak Testing
Virus Outbreak Testing   -   Direitos de autor  Lynne Sladky/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia de covid-19 já provocou a morte de 249.372 pessoas e infetou mais de 3,5 milhões em todo o mundo desde que surgiu em dezembro na China, segundo um balanço da agência AFP divulgado ao final desta segunda-feira.

Destaques do dia:

  • Campanha de angariação de fundos para investigação junta 7,4 mil milhões de euros

  • Portugal soma mais 20 óbitos e atinge os 1063 no primeiro dia de desconfinamento

  • França ultrapassa os 25 mil mortos desde o início de março devido ao novo coronavírus

  • China critica governo dos Estados Unidos pelas acusações sobre a origem do SARS-CoV-2

  • Japão decide prolongar Estado de Emergência até 31 de maio em todo o território

21h00 (CET) Turquia inicia desconfinamento gradual após a meia-noite

A Turquia vai iniciar hoje à meia-noite um desconfinamento gradual que levanta algumas restrições impostas pela pandemia de covid-19, como o fim da proibição de viajar entre as províncias mais povoadas, a saída à rua dos maiores de 65 anos ou a abertura de diversos estabelecimentos comerciais.

O calendário do levantamento das medidas contra o novo coronavírus foi anunciado pelo Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, na sequência de 10 dias consecutivos com menos de 100 óbitos diários por covid-19.

Com 64 óbitos hoje anunciados, a Turquia continua a registar progressos no combate à pandemia, sendo que o número total de mortes situa-se nas 3.461, num total de 127.000 contágios registados.

20h10 (CET) OMS realça "solidariedade global" com doações para investigação

A Organização Mundial de Saúde (OMS) enalteceu hoje a "solidariedade global" dos países com a recolha de cerca de 7,4 mil milhões de euros para investigação contra a covid-19.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirmou que os contributos avançados esta segunda-feira apresentam “ferramentas capazes de salvar vidas” em todo o mundo, através do desenvolvimento de vacinas, testes e tratamentos.

Segundo a Comissão Europeia, a recolha de 7,4 mil milhões de euros apenas três horas depois do arranque do evento de angariação de fundos "constitui um sólido ponto de partida para a maratona mundial de promessas de doação".

19h30 (CET) França ultrapassa os 25 mil óbitos

França ultrapassou hoje as 25 mil mortes devido a covid-19 desde o início da pandemia, depois de a Direção-Geral da Saúde francesa ter revelado mais 306 óbitos desde domingo.

Segundo os dados desta segunda-feira, o número total de mortes causadas pelo novo coronavírus é agora de 25.201, das quais 15.826 ocorreram em hospitais e 9.375 em lares.

Este registo faz de França o quinto país mais atingido no mundo, apenas atrás de Estados Unidos da América (67.682 mortos), Itália (29.029), Reino Unido (28.734) e Espanha (25.428), de acordo com os dados recolhidos pela agência AFP.

19h00 (CET) Itália regista ligeira subida diária no número de mortes

Itália registou até hoje 29.029 mortes por covid-19, com mais 195 óbitos nas últimas 24 horas, um número superior ao anunciado no domingo (174), que tinha sido o mais baixo das últimas semanas.

Por outro lado, a curva de contágio mantém a trajetória descendente, tendo sido registados 1.221 novos casos, o que elevou para 211.958 o total desde que o novo coronavírus foi detetado em Itália, em 21 de fevereiro, segundo a Proteção Civil transalpina.

O país entrou hoje numa nova fase no combate ao novo coronavírus, com a retoma de parte da atividade económica - indústria, manufatura, construção e comércio – e o alívio de algumas restrições de circulação, após oito semanas de confinamento.

18h00 (CET) Reino Unido soma mais 288 óbitos

O Reino Unido registou mais 288 mortes devido à covid-19 nas últimas 24 horas, o que aumentou para 28.734 o total de óbitos desde o início da pandemia, sendo também o aumento diário mais reduzido desde março.

Foram também identificados 3.985 novos casos, elevando o total para 190.584, e continuam hospitalizadas 13.258 pessoas.

“Este número [variação diária] é o mais baixo desde o final de março, mas estes números tendem a ser mais baixos durante o fim de semana, por isso estamos à espera que suba [nos próximos dias]”, disse o ministro da Saúde, Matt Hancock.

17h00 (CET) Irão reabre mesquitas e regista novo aumento de mortes e casos

A decisão do Irão de reabrir mesquitas em mais de uma centena de condados coincidiu com um aumento de mortes e novos casos de infeção de covid-19.

Segundo o porta-voz do Ministério da Saúde iraniano, Kianouche Jahanpour, nas últimas 24 horas o Irão contabilizou mais 74 óbitos, o que eleva para 6.277 o total de mortes, número superior ao registado na véspera, 47, o mais baixo em quase dois meses de monitorização.

Jahanpour acrescentou que foram também registados mais 1.223 novos casos de infeção, elevando assim para 98.647 o total de contaminados.

As mesquitas iranianas, encerradas na sua maioria desde fins de fevereiro, foram autorizadas pelo Governo a reabrir as portas aos fiéis em 132 condados menos atingidos pela propagação do novo coronavírus. O país conta com 434 condados distribuídos por 31 províncias.

16h10 (CET) China critica EUA por acusações sobre origem do SARS-CoV-2

A televisão estatal chinesa CCTV respondeu com duras críticas às acusações dos Estados Unidos sobre a origem do novo coronavírus, ao considerar "insanos e imprecisos” os comentários do Secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo, que aludiu a "uma quantidade significativa de provas” de que o SARS-CoV-2 teve origem num laboratório da cidade chinesa de Wuhan.

“Essas observações tendenciosas e sem sentido dos políticos norte-americanos estão a fazer um número cada vez maior de pessoas acreditar que essas provas existem”, observou a CCTV.

15h25 (CET) Comissão Europeia mobiliza mil milhões para investigação

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou hoje uma contribuição de mil milhões de euros para uma investigação de vacina e tratamentos para a covid-19.

“A Comissão Europeia vai mobilizar mil milhões de euros para a resposta global ao novo coronavírus”, disse a líder do executivo comunitário, no arranque de uma maratona mundial de angariação de fundos para desenvolvimento de testes de diagnóstico, tratamentos e vacinas contra a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A campanha de angariação de fundos espera arrecadar um total de 7,5 mil milhões de euros.

14h40 (CET) Total de óbitos em Portugal ascende a 1063

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou hoje mais 20 mortos nas últimas 24 horas, elevando assim o total para 1.063 óbitos associados à covid-19 em 25.524 casos confirmados de infeção (242 novos casos diagnosticados).

Das pessoas que se encontram infetadas, 813 estão hospitalizadas, das quais 143 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados passou de 1.689 para 1.712.

Portugal entrou domingo em situação de calamidade, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

11h40 (CET) Espanha regista segundo dia seguido abaixo dos 200 mortos

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 164 mortes associadas à covid-19, o mesmo número de domingo e que foi o mais baixo das últimas sete semanas.

Segundo as autoridades sanitárias espanholas, há até agora um total de 25.428 óbitos desde o início da pandemia.

Foram também diagnosticados 356 novos casos positivos, o que eleva para 218.011 o total de infetados.

11h00 (CET) Japão prolonga estado de emergência até 31 de maio

O Japão prolongou o estado de emergência no país até 31 de maio, depois de ter adotado este regime de restrições devido à pandemia de covid-19 no dia 7 de abril. “Vou prolongar até 31 de maio o estado de emergência declarado a 07 de abril. Todas as prefeituras do país estão abrangidas", disse hoje o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, sobre as medidas de combate à pandemia, inicialmente previstas para terminarem na próxima quarta-feira.

No entanto, a 14 de maio haverá uma reunião de especialistas para reavaliação da situação no país e que, em caso de um desempenho positivo no combate à propagação do novo coronavírus, poderá resultar no levantamento do alerta sanitário antes do fim do mês.

De acordo com o último balanço oficial, já foram registados 15.057 casos e 510 mortes desde meados de janeiro.

10h20 (CET) Alemanha soma mais 43 mortes, o valor mais baixo desde março

A Alemanha anunciou hoje o menor número de vítimas mortais desde março, com 43 óbitos registados nas últimas 24 horas, e apenas 679 novos casos, o que perfez o terceiro dia consecutivo abaixo das mil novas infeções por covid-19 diagnosticadas.

Segundo os dados oficiais do Instituto Robert Koch, que efetua a certificação dos números da pandemia no país, há até agora 6.692 mortes em 163.175 casos positivos, além de 132.700 pessoas recuperadas da infeção.

O país entrou hoje numa nova fase de combate à pandemia, com o levantamento de algumas restrições a permitir a abertura de alguns estabelecimentos comerciais mediante o cumprimento de condições de higiene e segurança rígidas.

Informações gerais

A pandemia de covid-19 já infetou mais de 3,5 milhões de pessoas e causou pelo menos 247 mil mortos em 195 países e territórios, havendo mais de um milhão de pessoas recuperadas da doença provocada por este novo coronavírus.

O surto terá surgido em dezembro na cidade de Wuhan, no centro da China e teve o primeiro registo na Europa em 20 em janeiro, em França, o mesmo dia em que se admite ter sido também registado pela primeira vez nos Estados Unidos.

O SARS-COV-2 entrou em África pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março, devido às medidas de confinamento decretadas pelos governos, ao encerramento de comércio e serviços, bem como a redução drástica do tráfego aéreo, o que paralisou a economia mundial.