Última hora
This content is not available in your region

China e EUA "à beira de uma Guerra Fria"

euronews_icons_loading
China e EUA "à beira de uma Guerra Fria"
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A China e os Estados Unidos da América podem estar à beira de uma nova "Guerra Fria". O ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, alertou, este domingo, que as posições de "certas forças políticas norte-americanas" sobre a origem do novo coronavírus podem agravar as relações entre as duas potências.

Numa conferência de imprensa, à margem da sessão plenária anual da Assembleia Popular Nacional, o chefe de diplomacia chinesa lamentou que "para além da devastação causada pelo novo coronavírus, exista também uma espécie de vírus político que se propaga pelos Estados Unidos da América." Wang Yi referiu, ainda, que "este vírus político expressa-se através do aproveitamento de todas as oportunidades para atacar e difamar a China". Alguns políticos ignoram, completamente, os factos básicos, e fabricaram demasiadas mentiras contra a China e urdiram demasiadas conspirações."

O governante chinês apelou à colaboração entre Pequim e Washington no combate à pandemia da covid-19.

Os Estados Unidos são, hoje, o país com um maior número de mortos, mais de 97 mil, e mais casos confirmados de infeção, ultrapassando a marca de um milhão e seiscentos mil.

Com o país prestes a chegar aos 100 mil mortos, o jornal The New York Times preencheu a primeira página com o nome de milhares de vítimas mortais desta pandemia.

Nas últimas semanas, Donald Trump tem acusado a China de ter atrasado a comunicação dos dados sobre a gravidade deste novo coronavírus. O presidente norte-americano afirma que essa foi uma das razões para a rápida propagação da doença.