EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Atuação dos governos na gestão da crise sanitária divide franceses, alemães e italianos

Atuação dos governos na gestão da crise sanitária divide franceses, alemães e italianos
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sondagem da Redfield & Wilton para a euronews sublinha diferenças na abordagem de cada país no combate à covid-19

PUBLICIDADE

A ameaça da covid-19 motivou respostas diferentes por parte dos diferentes países europeus e os resultados foram naturalmente diferentes. Essa diferença também se reflete na opinião pública, como o prova uma sondagem realizada pela Redfield and Wilton para a euronews, tendo por base os eleitores de França, Alemanha e Itália.

Os franceses apresentam-se como os mais críticos relativamente à atuação do governo, com 63% dos inquiridos a criticar a gestão da crise efetuada pelo executivo de Emmanuel Macron. Ao invés, 78% dos alemães elogia a atuação do governo de Angela Merkel, em Itália a maior parte dos italianos também mostrou estar do lado de Giuseppe Conte.

euronews / Redfield & Wilton
Como classifica a gestão da crise sanitária provocada pelo coronavírus por parte do governo?euronews / Redfield & Wilton

As primeiras medidas até se tinham traduzido num aumento da popularidade para os três chefes de governo mas no caso de Macron, o arrastar da crise traduziu-se num desgaste da imagem. Apenas 6% dos franceses mostrou um apoio forte à gestão do seu chefe de Estado durante a pandemia e 49% classificou-a de negativa.

O contraste volta a surgir da Alemanha, com mais de 70% a dar nota positiva a Merkel. Os italianos foram mais comedidos, ainda assim, Conte mereceu o apoio de mais de metade dos inquiridos.

euronews / Redfield & Wilton
Como classifica a atuação do chefe de governo?euronews / Redfield & Wilton

A principal preocupação da população também varia de país para país. Quase setenta por cento dos franceses diz estar preocupada sobretudo com a saúde pública, um receio partilhado por sessenta por cento dos alemães. Já em Itália, um dos países que mais sofreu com a covid-19, a maior parte dos inquiridos admite que está mais preocupada com o impacto económico da epidemia.

euronews / Redfield & Wilton
O que o preocupa mais?euronews / Redfield & Wilton

Um ponto onde os eleitores dos três países parece estar de acordo prende-se com a gestão do espaço nacional. O encerramento das fronteiras foi bem visto por franceses, alemães e italianos e cerca de um terço mostrou mesmo um forte apoio à medida, considerando-a crucial para a segurança do país. Os críticos oscilaram entre os 8% e os 12% dos inquiridos.

euronews / Redfield & Wilton
Concorda que a crise mostrou a importância das fronteiras para a segurança dos países?euronews / Redfield & Wilton

A divisão da Europa ficou bem patente na sondagem. Cabe aos governos encontrar um consenso, ao mesmo tempo que procura um equilíbrio entre o estímulo da economia e a prevenção de uma segunda vaga de covid-19.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Estado da União": Comissão anunciou "bazuca" orçamental

Europeus confiantes no regresso ao trabalho

Três feridos em ataque à faca no metro de Lyon